Cotidiano

‘Sommeliers’ de vacina podem acabar no fim da fila da imunização em MS

SES diz que vacinas não podem ser escolhidas como em um cardápio e estuda punição

Mylena Rocha Publicado em 06/07/2021, às 10h45

"Vacina boa é aquela que se aplica no braço", ressalta secretário
"Vacina boa é aquela que se aplica no braço", ressalta secretário - Henrique Arakaki/Midiamax

Os chamados ‘sommeliers’ de vacina podem acabar no fim da fila após recusar doses de determinadas marcas em Mato Grosso do Sul. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) estuda colocar as pessoas que escolhem vacina no fim da fila, proposta que será apresentada na reunião da CIB (Comissão Intergestores Bipartite). 

A campanha de vacinação no Estado conta com as vacinas Coronavac, AstraZeneca, Pfizer e Janssen. O secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, ressalta que as vacinas não podem ser escolhidas, como em um cardápio de restaurante. Para que Mato Grosso do Sul consiga alcançar a imunidade coletiva, todos precisam ser vacinados, com a vacina que estiver disponível. 

“A vacina não é uma roupa que você vai na loja e escolhe, ou uma carta ou cardápio, que escolhe o que vai tomar ou comer. Vacina boa é aquela que se aplica no braço e quem faz isso presta um total desserviço à saúde pública. Assim, quero propor que os secretários municipais possam tomar decisão e colocar essas pessoas no final da fila”, disse Resende. 

Mato Grosso do Sul já recebeu mais de 2 milhões de doses de vacina, segundo o Vacinômetro. Destas, 1,8 milhão já foram aplicadas, sendo 1.207.438 como primeira dose, 495.716 como segunda dose e 106.332 como dose única.

Jornal Midiamax