Cotidiano

Semed diz monitorar pandemia e mantém calendário para retorno das aulas em Campo Grande

Secretaria informou que decisões devem ser tomadas em data mais próxima ao retorno

Gabriel Neves Publicado em 11/06/2021, às 10h44

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Divulgação)

Mesmo após ser classificada na bandeira cinza pelo Prosseguir na última quinta-feira (11) e restringir diversas atividades pelos próximos dias. Campo Grande manterá o calendário de retorno das aulas presenciais, tendo em vista que o retorno deverá ocorrer apenas daqui 45 dias, no dia 26 de julho.

De acordo com a Semed (Secretaria Municipal de Educação) ainda são aguardadas orientações da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e demais autoridades de saúde competentes para uma definição em data mais próxima ao retorno das aulas.

“Por enquanto, está mantida a previsão de retorno das aulas da Reme no sistema escalonado no dia 26 de julho. As atividades serão presenciais, de maneira escalonada, com os alunos divididos em grupos, por ano letivo e por período”, informou a secretaria, através da assessoria, por meio de nota.

Ainda segundo a Semed, caso ocorra mudanças no cronograma até a data prevista, os pais, responsáveis e os alunos, serão informados se o retorno no dia 26 de julho será mantido ou haverá adiamento.

Aulas escalonadas

Nas atividades escalonadas, uma parte dos alunos vai assistir as aulas presenciais e a outra parte fica em casa realizando as atividades remotas, e na semana seguinte é feita a inversão dos grupos.

A mesma proposta será válida para os estudantes da educação infantil, portanto as Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil) também vão receber os alunos por período, e a cada semana será um grupo diferente.

Com isso os alunos das Emeis vão frequentar a aula, em média, a cada duas semanas, de manhã ou à tarde, e não mais em período integral, como ocorria antes da pandemia.

“A medida é para obedecer aos critérios de biossegurança, em relação a quantidade de alunos por sala de acordo com o tamanho do espaço”, finalizou a Semed.

Jornal Midiamax