Cotidiano

Sem vaga até em UTI particular, família transfere paciente com Covid para Pernambuco

Transporte em UTI aérea foi realizado neste sábado; paciente estava internado em São Gabriel do Oeste desde 26 de maio e não conseguiu vaga em MS

Humberto Marques Publicado em 05/06/2021, às 16h07

Custos da transferência de paciente em UTI aérea foram bancados pela família
Custos da transferência de paciente em UTI aérea foram bancados pela família - Reprodução

Um paciente com Covid-19 de 37 anos, entubado e em estado grave, é o novo personagem da novela que se transformou a superlotação na rede hospitalar de Mato Grosso do Sul por conta do coronavírus. Ele foi transferido na manhã deste sábado (4) de São Gabriel do Oeste –a 141 km de Campo Grande– para a cidade de Caruaru (PE).

O paciente foi levado em UTI áerea para o Estado do Nordeste, com custos bancados pela família. Antes disso, porém, a família tentou vaga de terapia intensiva em diversos hospitais do Estado, sem sucesso. Com isso, optou-se pela transferência para outro Estado, já que ele tem um irmão em Pernambuco, que se prontificou a conseguir uma vaga na rede privada local.

Nesta semana, diante da falta de vagas em Mato Grosso do Sul, a Secretaria de Estado de Saúde –que há algumas semanas chegou a receber pacientes do Amazonas, que enfrentou o mesmo problema– começou a buscar vagas em outras regiões. Pacientes foram enviados para Rondônia e, após um primeiro contato com o Espírito Santo, viu o governo daquele Estado anunciar a recusa de pacientes.

Conforme apurou a reportagem, o paciente transferido de UTI aérea nesta manhã para Pernambuco estava internado desde 26 de maio no Hospital Municipal de São Gabriel do Oeste.

A unidade não tem leitos de terapia intensiva, porém, adaptou uma ala Covid na qual abertas 19 vagas, incluindo leitos com ventiladores. Lá, segundo foi informado à reportagem, há 8 pacientes intubados.

Com o agravamento do quadro, a família contatou hospitais em outros municípios –Campo Grande, Dourados e Ponta Porã, entre eles–, não conseguindo vagas de UTI nem na rede particular. Com isso, o irmão do paciente tomou os cuidados para a transferência.

Em São Gabriel, o hospital municipal está em processo para formar equipes de UTI, mas, nesta tarde, não havia vagas para novas internações –com pacientes utilizando até ventilador de transporte para garantir a oxigenação.

Saúde aponta superlotação de UTIs públicas

Boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado na manhã deste sábado apontou que Mato Grosso do Sul superou os 300 mil casos de coronavírus desde o início da pandemia. São 300.243 pacientes, sendo 270.354 já recuperados e 7.072 que foram a óbito.

Com isso, são cerca de 23 mil casos ativos no Estado, sendo 21.487 em isolamento domiciliar e 1.330 hospitalizados. Destes, 771 estão em leitos clínicos e 559 em UTIs (ocupando 434 leitos públicos e 125 privados). As taxas de ocupação hospitalar seguem altas, principalmente na terapia intensiva.

Nas UTIs Covid do SUS, a ocupação chegou a 107% dos leitos adultos (466 pacientes para 434 leitos, com a diferença sendo coberta pelo Estado ou municípios via aquisição de leitos ou com pacientes em espera) e de 120% no pediátrico (6 de 5). Na rede privada, era de 94% (145 vagas ocupadas em 154), sem leitos na pediatria.

A taxa de ocupação global (pacientes Covid e não Covid) de leitos de UTI SUS nas 4 macrorregiões era de 112% em Campo Grande, 91% em Dourados, 84% em Três Lagoas e 96% em Corumbá.

Jornal Midiamax