Cotidiano

MS rompe barreira dos 300 mil casos e tem mais 41 mortes em 24h por Covid-19

Boletim da Secretaria de Estado de Saúde totalizou 300.243 casos positivos; média de junho é de 1,9 mil novos infectados por dia

Humberto Marques Publicado em 05/06/2021, às 11h32

Casos novos de Covid-19 seguem em alta, assim como a ocupação de leitos de UTI em Mato Grosso do Sul
Casos novos de Covid-19 seguem em alta, assim como a ocupação de leitos de UTI em Mato Grosso do Sul - Arquivo/Midiamax

Mato Grosso do Sul superou neste sábado (5) a marca dos 300 mil casos de coronavírus durante toda a pandemia, que desembarcou no Estado em março de 2020. O boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) divulgado hoje também soma mais 41 mortes causadas pela Covid-19 no Estado.

A marca vem acompanhada de um prognóstico ainda mais assustador para junho deste ano. A média diária de casos positivos é de quase 2 mil ao dia, bem acima do registrado em maio, mês que registrou até aqui o maior número de infecções pela Covid-19.

De acordo com o levantamento, o Estado registrou até este sábado 862.470 notificações de casos suspeitos de coronavírus. Destas, 300.243 foram confirmados.

A SES também informou que ainda há 5.514 amostras em análise para confirmar ou não a infecção pelo vírus; enquanto 8.940 aguardam encerramento pelos sistemas municipais de Saúde –que devem confirmar ou não se há novos números a se somarem ao total.

O total de casos confirmados representa um acréscimo de 2.152 nas últimas 24 horas, considerando-se os dados de sexta-feira (4), quando eram 298.091 infecções confirmadas por Covid-19 em Mato Grosso do Sul.

Dos novos casos, Campo Grande respondeu por 446, elevando os números da Capital de 106.874 infectados para 107.320 em 24 horas. Dourados (mais 328), Três Lagoas (110), Ponta Porã (107), Rio Brilhante (72), Bonito (54), Bataguassu e Nova Andradina (49 cada), Corumbá (47) e Naviraí (46) completam a lista de 10 cidades com maior volume de novos casos –confira a íntegra do boletim aqui.

Média diária de junho projeta recorde no total de casos

Os dados correspondentes à 22ª semana epidemiológica indicam o maior volume concentrado de casos de coronavírus no Estado, com cerca de 13 mil nos últimos 7 dias. Na 21ª semana, o dado estava pouco abaixo de 12 mil e, na anterior, era um pouco maior que 11 mil. Também é a quinta semana epidemiológica consecutiva de aumento de casos no Estado.

Média de casos na 22ª semana epidemiológica confirma a quinta alta consecutiva de infecções por Covid-19 em MS. (Imagem: Reprodução)
Média de casos na 22ª semana epidemiológica confirma a quinta alta consecutiva de infecções por Covid-19 em MS. (Imagem: Reprodução)

Além disso, nos 5 primeiros dias de junho, Mato Grosso do Sul já confirmou 9.518 casos positivos de Covid-19. Em todo o mês de junho de 2020, foram 6.476.

Os dados deste mês projetam um novo recorde de casos no Estado: o último mês de maio registrou o maior volume de infectados de toda a pandemia, com 42.540, uma média de 1.372 casos por dia.

Só os 5 primeiros dias de junho já representam uma média de 1.903 casos/dia. Se o ritmo se mantiver nos próximos 25 dias, o Estado superará os 57 mil casos até o fim do mês.

Taxa de ocupação de leitos de UTI continua alta na rede pública

Desses 300.243 casos positivos, 270.354 pacientes já se recuperaram e 7.072 foram a óbito, ou seja, há cerca de 23 mil casos ainda ativos em todo o Estado.

Conforme a SES, 21.487 pacientes seguem em isolamento domiciliar e 1.330 estão hospitalizados. Destes, 771 ocupam leitos clínicos (578 na rede pública e 193 na particular) e 559 estão em UTIs (434 leitos públicos e 125 privados abrigam pacientes de Covid-19).

Taxa de ocupação de leitos de UTI segue acima de 100% em Campo Grande. (Imagem: Reprodução)
Taxa de ocupação de leitos de UTI segue acima de 100% em Campo Grande. (Imagem: Reprodução)

As taxas de ocupação hospitalar seguem altas: na rede pública, a ocupação de leitos clínicos entre casos confirmados e suspeitos é de 91% para adultos (677 dos 743 existentes) e 23% nos pediátricos (23 dos 112).

A situação é mais grave nas UTIs Covid do SUS, com ocupação de 107% dos leitos adultos (466 de 434, com a diferença sendo coberta pelo Estado ou municípios via aquisição de leitos ou com pacientes em espera) e de 120% no pediátrico (6 de 5).

Na rede privada, a ocupação e leitos clínicos é de 84% para adultos (238 de 282) e de 29% na pediatria (4 de 14). Para UTIs, chega a 94% no adulto (145 de 154) e 0% no pediátrico.

A taxa de ocupação global (pacientes Covid e não Covid) de leitos de UTI SUS nas 4 macrorregiões é de 112% em Campo Grande, 91% em Dourados, 84% em Três Lagoas e 96% em Corumbá. A situação já tem levado Mato Grosso do Sul a enviar pacientes para outros Estados.

Das 41 mortes por Covid em 24 horas, 16 ocorreram em Campo Grande

No mesmo intervalo de tempo, foram registradas mais 41 mortes causadas pela Covid-19, elevando a 7.072 o número de vidas perdidas para a doença no Estado. A taxa de letalidade (número de mortes por 100 mil casos) está em 2,3%.

Dos novos óbitos, 16 foram registrados em Campo Grande, 4 em Dourados e Caarapó, 3 em Anastácio e 2 em Corumbá. Amambai, Antônio João, Aparecida do Taboado, Bodoquena, Cassilândia, Coronel Sapucaia, Costa Rica, Itaquiraí, Nova Alvorada do Sul, Ponta Porã, Rio Brilhante e Sonora registraram uma morte cada uma.

Jornal Midiamax