Cotidiano

Sem reajuste, enfermeiros do HR de Ponta Porã entram em greve e culpam Governo de MS

Sindicato afirma que movimento é por tempo indeterminado

Gabriel Neves Publicado em 27/05/2021, às 10h07 - Atualizado às 10h40

Enfermeiros estão em frente aos hospital nesta manhã.
Enfermeiros estão em frente aos hospital nesta manhã. - (Foto: Divulgação/Siems)

Os enfermeiros do HR (Hospital Regional) de Ponta Porã iniciaram uma greve na manhã desta quinta-feira (27) contra o congelamento de salário proposto pela instituição. O movimento é por tempo indeterminado.

De acordo com o Siems (Sindicado dos Trabalhadores da Área de Enfermagem do Mato Grosso do Sul), a categoria recebe cerca de R$ 1.500 em Ponta Porã, um dos salários mais baixos do estado e durante negociações foi apresentada uma proposta de reajuste zero.

O presidente do Siems, Lazáro Santana, explica que apenas 30% da categoria manterá o atendimento essencial no hospital e o restante dos profissionais só retornarão ao trabalho após a apresentação de uma nova proposta por parte da entidade patronal.

“A OS (Organização Social) que administra o hospital argumenta que depende de aporte financeiro do Estado e fica nesse jogo de empurra. A administração de hospital e qualquer empresa tem que estar a par e colocar em seus orçamentos a questão da reposição salarial, isso é fundamental”, comentou o diretor do Siems, Sebastian Rojas.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde nega a greve que foi anunciada pela categoria. "A Secretaria de Estado de Saúde informa que não há greve no Hospital regional de Ponta Porã. O atendimento está ocorrendo normalmente. O reajuste desse ano está garantido desde a assinatura do dissidio do ano passado. A Secretaria de Estado de Saúde foi pega d surpresa com essa manobra política e considera no mínimo injusta essa manobra do sindicato".

Jornal Midiamax