Cotidiano

Sem capacidade para mais leitos, MS tem ocupação de 105% para UTI covid

Sem capacidade para mais leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivas para pacientes covid, Mato Grosso do Sul enfrenta superlotação no sistema de saúde, que está sobrecarregado com ocupação em 105% nesta terça-feira (23). Conforme o Painel Mais Saúde, da SES (Secretaria Estadual de Saúde), o sistema de saúde do Estado opera acima do limite, […]

Gabriel Maymone Publicado em 23/03/2021, às 08h34 - Atualizado às 10h04

MS não tem mais vagas para pacientes em leitos UTI exclusivos para covid. (Foto: Divulgação)
MS não tem mais vagas para pacientes em leitos UTI exclusivos para covid. (Foto: Divulgação) - MS não tem mais vagas para pacientes em leitos UTI exclusivos para covid. (Foto: Divulgação)

Sem capacidade para mais leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivas para pacientes covid, Mato Grosso do Sul enfrenta superlotação no sistema de saúde, que está sobrecarregado com ocupação em 105% nesta terça-feira (23).

Conforme o Painel Mais Saúde, da SES (Secretaria Estadual de Saúde), o sistema de saúde do Estado opera acima do limite, com 26 pacientes além da capacidade. Além disso, na segunda-feira (22) eram 160 pacientes aguardando vaga para internação.

Isso significa que o sistema registra a internação de 547 pacientes graves com covid, mas apenas 521 leitos UTI.

Campo Grande  foi o município que mais ampliou o número de leitos, contudo, o avanço da doença segue em ritmo acelerado e a taxa de ocupação na Capital é de 104%, ou seja: o município tem 12 pacientes além da capacidade.

A superlotação é verificada no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) – considerado referência do SUS para tratamento da doença. Boletim de segunda-feira do hospital mostrava taxa de ocupação de 110%. Assim, todos os 120 leitos UTI estavam ocupados com pacientes covid e havia outros 12 improvisados em duas alas vermelhas do hospital.

Sem capacidade para mais leitos, MS tem ocupação de 105% para UTI covid

Também estão sem vagas para pacientes em estado crítico de covid os municípios de Dourados, Corumbá, Três Lagoas, Ponta Porã, Sidrolândia, Coxim, Jardim, Aparecida do Taboado, Paranaíba e Nova Andradina (112%).

Espera por leitos

Com a situação de colapso, o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Resende destaca que estamos chegando ao limite de leitos. “Não vamos ter mais leitos. Uma parcela são leitos improvisados”.

Além disto, o Estado tem uma lista de pacientes que aguardam por uma vaga em leito clínico ou de UTI Covid. Conforme dados da SES, há 160 pacientes na fila.

Assim, o secretário de Saúde estadual disse que “temos 124 pessoas na Central de Regulação necessitando de vagas em Campo Grande, 102 são da Capital. Na Central de Dourados, temos 6 pedidos de vagas, precisando de leitos clínicos ou de UTI. Na Central do Estado, tem 30 pessoas aguardando leitos clínicos e UTI, se somarmos temos 160 pessoas em fila de espera para leitos clínicos e UTI COVID”.

Jornal Midiamax