Cotidiano

Saúde confirma três casos da variante Delta em MS; dois são de pacientes de Campo Grande

Secretário afirmou que amostras foram coletadas no mês de julho

Gabriel Maymone Publicado em 06/09/2021, às 10h19

Amostras foram coletadas em MS para sequenciamento
Amostras foram coletadas em MS para sequenciamento - Divulgação

A SES-MS (Secretaria Estadual de Saúde) confirmou, na manhã desta segunda-feira (6), três casos de pacientes com a variante Delta do coronavírus em Mato Grosso do Sul. São dois pacientes de Campo Grande e um de Ladário.

Das amostras confirmadas, dois são moradores de Campo Grande, um homem de 22 anos e uma mulher de 51 anos, e uma mulher de 52 anos de moradora de Ladário.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destacou que Mato Grosso do Sul irá redobrar as ações sanitárias. “Como a confirmação veio de amostras coletadas no mês de julho, mostra que a variante já está circulando em Mato Grosso do Sul”, disse.

Na quarta-feira, Resende irá se reunir com os prefeitos e secretários municipais de Saúde, com Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) e Cosems (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde), para tratar das estratégias a serem tomadas. “Vamos solicitar aos municípios um empenho para que seja aplicada pelo menos a primeira dose em quem ainda não tomou e aplicar a segunda dose naqueles que precisam completar o esquema vacinal. Para tal, vamos encurtar o prazo para aplicação da D2 da Pfizer para 21 dias”, disse.

As amostras são do monitoramento de rotina feita pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) como parte das ações de vigilância genômica. As amostras foram coletadas em 23 e 27 de julho deste ano e encaminhadas ao laboratório da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) no Amazonas.

Em nota, a SES informou que "mantém programa de vigilância genômica enviando amostras para monitoramento de novas cepas, controle de qualidade e investigar possíveis casos de re-infecção sinalizadas pela Vigilância Epidemiológica".

Variante Delta

Estudos mostram que a variante Delta apresenta sinais diferentes dos clássicos sintomas da Covid-19. Além disso, os imunizados apresentam sinais brandos, o que também pode confundir.

Quem tem sintomas como dor de cabeça, dor de garganta e coriza, logo pode pensar que se trata apenas de uma gripe. Contudo, estes são os sintomas mais relatados entre as pessoas vacinadas infectadas pela variante delta. O Estudo Zoe Symptom, realizado no Reino Unido, apontou que a nova variante se parece com um resfriado forte entre os jovens. 

Os sintomas mais clássicos da Covid-19 eram a febre, tosse, perda de olfato e paladar. Contudo, com mais jovens vacinados e a disseminação da variante Delta, os sinais passam a ser diferentes. Confira a lista de sintomas mais observados entre as pessoas com a imunização completa, em ordem de predominância: 

  • Dor de cabeça
  • Nariz escorrendo
  • Espirros
  • Dor de garganta
  • Perda de olfato
  • Fadiga
  • Tosse
  • Diarreia

Eficácia das vacinas

As vacinas disponíveis contra a Covid-19 possuem grande eficácia contra a variante delta do coronavírus. A conclusão vem a partir de uma série de estudos realizados em diferentes países.

No estudo, a agência governamental inglesa para a saúde pública (Public Health England) não discrimina as efetividades por vacina, mas sim resultados gerais. Na média, a efetividade dos imunizantes contra a variante delta ficou em 35% para casos sintomáticos da doença com uma dose, e em 79% com duas. Nota-se que a cepa reduz a eficácia global das vacinas, especialmente quando contamina organismos que tenham recebido apenas a primeira dose. Entretanto, seguem com alto grau de proteção.

Jornal Midiamax