Cotidiano

Rio Miranda sobe e avança sobre casas de ribeirinhos em distrito de Bonito

Em situação de emergência, o Rio Miranda continuou subindo e invadiu casas de ribeirinhos, na manhã desta sexta-feira (22), no Distrito Águas do Miranda, em Bonito, distante 297 km de Campo Grande. O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) emitiu alerta para a cheia do rio, que já estava sendo monitorado […]

Gabriel Maymone Publicado em 22/01/2021, às 11h12 - Atualizado às 11h33

Água do rio invadiu casas de ribeirinhos. (Foto: Reprodução)
Água do rio invadiu casas de ribeirinhos. (Foto: Reprodução) - Água do rio invadiu casas de ribeirinhos. (Foto: Reprodução)

Em situação de emergência, o Rio Miranda continuou subindo e invadiu casas de ribeirinhos, na manhã desta sexta-feira (22), no Distrito Águas do Miranda, em Bonito, distante 297 km de Campo Grande.

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) emitiu alerta para a cheia do rio, que já estava sendo monitorado pelas equipes do Estado. A estação da estrada MT-738, que fica no encontro do Rio Miranda com o Rio Nioaque, marcou 9,75 metros nesta sexta-feira (22) e esta em estado de emergência desde terça-feira, quando ultrapassou os 6,5 metros. O nível médio do rio é de 3 metros.

Outros municípios que estão em alerta para cheias são:  Aquidauana, Anastácio, Miranda e Coxim, que também está em alerta, com o Rio Taquari a 4,4 metros.

Rio Miranda
Rio Miranda ultrapassou 6,75 metros do nível normal. (Foto: Reprodução)

A cidade de Nioaque, a 187 km de Campo Grande, foi a primeira a declarar situação de emergência por conta do volume de chuvas. O tempo chuvoso não tem dado trégua nestes últimos dias, causando enxurradas, alagamentos e inundações na cidade. Famílias foram desalojadas e maioria procurou abrigo em casa de parentes.

Ainda segundo a Defesa Civil, cidades como Anastácio, Aquidauana, Bonito, Coxim e Miranda estão em observação. Diante das condições climáticas já registradas e das estimadas para os próximos dias, a população que reside em municípios com históricos de alagamentos precisa ficar atenta.

Jornal Midiamax