Cotidiano

Recorde: MS tem mais de mil internados por coronavírus e 160 pacientes à espera de vagas

Mato Grosso do Sul atingiu mais um triste recorde da pandemia e chegou a 1.086 pacientes internados com coronavírus. O Estado tem atingido um recorde atrás do outro no que diz respeito aos leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e já faltam vagas no sistema de saúde público e privado. Há 130 […]

Mylena Rocha Publicado em 22/03/2021, às 11h30 - Atualizado às 18h12

 (Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki)
(Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki) - (Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki)

Mato Grosso do Sul atingiu mais um triste recorde da pandemia e chegou a 1.086 pacientes internados com coronavírus. O Estado tem atingido um recorde atrás do outro no que diz respeito aos leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e já faltam vagas no sistema de saúde público e privado. Há 130 pessoas na fila de espera por leitos.

Conforme divulgado na live da SES (Secretaria de Estado de Saúde), há 25 pessoas ocupando leitos improvisados em Mato Grosso do Sul. O secretário Geraldo Resende voltou a ressaltar que não há leitos em MS. 

“Hoje temos 1.086 cidadãos internados, é um recorde atrás do outro. Ontem foram 1.058 internados, não vamos ter mais leitos. Uma parcela são leitos improvisados, chamados leitos críticos”, diz.

Com os leitos ocupados, o Estado tem uma lista de pacientes que aguardam por uma vaga em leito clínico ou de UTI Covid. Conforme dados da SES, há 160 pacientes na fila. 

“Temos 124 pessoas na Central de Regulação necessitando de vagas em Campo Grande, 102 são da Capital. Na Central de Dourados, temos 6 pedidos de vagas, precisando de leitos clínicos ou de UTI. Na Central do Estado, tem 30 pessoas aguardando leitos clínicos e UTI, se somarmos temos 160 pessoas em fila de espera para leitos clínicos e UTI COVID”, disse Geraldo Resende. 

A secretária adjunta Crhistinne Maymone citou sobre as medidas restritivas adotadas em Campo Grande, quando feriados foram antecipados para que a população fique em casa. Ela reforçou que o decreto não deve ser encarado como férias. “Não são férias, não é para sair de Campo Grande e ir para outros municípios. É uma medida para salvar vidas, salvamos agora ou não a salvaremos mais”, frisou.

Confira a lista de espera: 

Recorde: MS tem mais de mil internados por coronavírus e 160 pacientes à espera de vagas
(Fonte: SES)
Jornal Midiamax