Cotidiano

Prosseguir: Campo Grande volta para bandeira cinza e tem 'risco extremo' para covid

Classificação é feita pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) conforme

Gabriel Maymone Publicado em 14/04/2021, às 10h55 - Atualizado às 11h17

Campo Grande tem risco extremo para contaminação de coronavírus
Campo Grande tem risco extremo para contaminação de coronavírus - Divulgação

Após ser classificada como bandeira vermelha (risco alto de contaminação para covid) no dia 3 de abril, Campo Grande voltou para bandeira cinza (risco extremo), conforme o Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) divulgado na manhã desta quarta-feira (14) pela SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Além da capital de MS, Itaquiraí também foi classificada como grau extremo para contaminação do coronavírus, quando é recomendado apenas o funcionamento de atividades essenciais.

A primeira vez que Campo Grande passou a configurar como bandeira cinza este ano foi no dia 18 de março. Então, após 14 dias de medidas restritivas à atividades não essenciais e ampliação do toque de recolher, o município melhorou a classificação no dia 3 de abril, cainso para bandeira vermelha.

Porém, com o aumento de casos, recordes de internações e falta de leitos UTI (Unidades de Terapia Intensiva) para pacientes com covid, a Capital voltou a ter a pior classificação do programa para contaminação da doença.

Conforme a SES, para definir a bandeira de cada cidade são levados em conta uma série de indicadores, entre eles disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de equipamentos de proteção individual, contato com casos confirmados, redução da mortalidade em relação a covid-19, disponibilidade de testes, redução de novos casos, ocorrências da doença entre profissionais de saúde e incidência do vírus na população indígena, entre outros fatores.

Classificação dos municípios

Veja abaixo a classificação completa dos municípios de Mato Grosso do Sul pelo Prosseguir:

Bandeira vermelha 

Bandeira amarela

Jornal Midiamax