Cotidiano

Projeto da Nova Ferroeste busca investidores antes de ir a leilão na B3

A sondagem de mercado iniciou nesta quarta-feira (1º) e segue até dia 8 de dezembro

Lucas Mamédio Publicado em 02/12/2021, às 17h17

None
(Foto: Divulgação)

O projeto da Nova Ferroeste, ferrovia que deve ampliar o escoamento e busca dar mais competitividade à produção do agronegócio sul-mato-grossense por meio dos portos paranaenses, começou nesta semana a ser apresentado a investidores internacionais antes de ir à leilão na B3 (bolsa de valores de São Paulo). A sondagem de mercado iniciou na quarta-feira (1) e segue até dia 8 de dezembro.

Segundo o Governo, entre os possíveis investidores já inscritos para conhecerem as potencialidades do projeto, estão construtoras, operadores ferroviários e fundos de investimentos do Brasil, Itália, Espanha, China e Emirados Árabes.

De acordo com o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), “a Nova Ferroeste entra agora numa fase fundamental, que é a apresentação do projeto a potenciais investidores. É importante que ele receba essa visibilidade para que tenha o nível de interessados no momento em que for a leilão na B3. A previsão estimada de taxa de retorno de investimento para a Nova Ferroeste é de 11% ao ano e o payback (tempo de retorno sobre o investimento inicial) de 17 anos”, afirmou.

Nova Ferroeste

A ferrovia Nova Ferroeste tem uma extensão total de 1.304 quilômetros. Os trilhos dessa nova malha ferroviária deverão ser, em princípio, de bitola mista (estreita e larga), vão entrar em Mato Grosso do Sul pelo município de Mundo Novo e seguirão pelo Estado passando por Eldorado, Iguatemi, Amambai, Caarapó, Dourados e Itaporã, até chegarem a Maracaju. No Paraná, o projeto ainda engloba um novo traçado entre Guarapuava e Paranaguá; um ramal multimodal ligando Cascavel e Foz do Iguaçu; além da revitalização do atual trecho da Ferroeste, entre Cascavel e Guarapuava.

O empreendimento é fruto de parceria dos governos de Mato Grosso do Sul e do Parana, em conjunto com o Governo Federal e a sondagem de mercado faz parte do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos), do Ministério da Economia. Durante os encontros com investidores, será apresentado o Estudo de Viabilidade Técnica Ambiental e Jurídica (EVTEA-J).

Jornal Midiamax