Cotidiano

Programa pretende recuperar bacia hidrográfica do rio Taquari em MS

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente) criou o programa Renova Taquari para implementar ações de recuperação ambiental na bacia hidrográfica do Rio Taquari, no município de Coxim e Corumbá. Conforme publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (8), o prazo de execução do programa será de até 48 meses, podendo ser prorrogado mediante justificativa. […]

Renata Volpe Publicado em 08/03/2021, às 09h36

Rio Taquari. (Silvio de Andrade/Governo de MS)
Rio Taquari. (Silvio de Andrade/Governo de MS) - Rio Taquari. (Silvio de Andrade/Governo de MS)

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente) criou o programa Renova Taquari para implementar ações de recuperação ambiental na bacia hidrográfica do Rio Taquari, no município de Coxim e Corumbá.

Conforme publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (8), o prazo de execução do programa será de até 48 meses, podendo ser prorrogado mediante justificativa.

O Alto Rio Taquari compreende as terras altas situadas nas chapadas, planaltos e depressões interiores que vão desde a nascente do Rio Taquari no município de Alto Taquari, no Mato Grosso até Coxim. 

Já o Médio Taquari é a porção caracterizada por canais meândricos localizada entre a cidade de Coxim até as proximidades da Fazenda Dois de Maio, na divisa entre as regiões pantaneiras da Nhecolândia e Paiaguás, município de Corumbá. Por fim, o baixo Taquari é o terço final do rio iniciado após a Fazenda Dois de Maio, englobando a região do Caronal e área inundada do Paiaguás, finalizando na região do Rio Paraguai Mirim, também em Corumbá.

Portanto, no local ocorre uma avulsão fluvial, processo natural de mudança no sentido do canal do rio pelo rompimento de diques marginas, engatilhado por diversos fatores, tal como o assoreamento. Também há lobo deposicional ativo, que é área de sedimentação mais recente de um leque aluvial. No caso do Rio Taquari, este segmento se inicia no ponto de avulsão do Caronal e espraia para uma vasta área inundada no Paiaguás, delineando os processos de recanalização em direção ao Rio Paraguai Mirim.

Assim, os projetos do Programa foram divididos em Alto, Médio e Baixo Taquari. As ações deverão ser elaboradas de acordo com as necessidades de intervenções para cada porção da bacia hidrográfica, podendo estes serem executadas de forma concomitante em uma única porção e ou em porções distintas, no entanto, cabe ao Imasul definir a ordem de prioridades dos projetos visando antecipar o restabelecimento dos serviços ecossistêmicos.

Jornal Midiamax