Cotidiano

Primeiro dia de restrições tem Centro ‘deserto’ e movimento em bairros de Campo Grande

O primeiro dia de restrições com fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais deixou o Centro de Campo Grande ‘deserto’. Já nos bairros, a movimentação é menor em relação a um dia normal. A reportagem do Jornal Midiamax percorreu bairros da cidade para verificar a movimentação no 1º dia da semana ‘fecha tudo’. O ponto mais […]

Gabriel Maymone Publicado em 22/03/2021, às 11h39 - Atualizado às 15h15

Centro de Campo Grande na manhã da segunda-feira, na semana "fecha tudo" | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax
Centro de Campo Grande na manhã da segunda-feira, na semana "fecha tudo" | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax - Centro de Campo Grande na manhã da segunda-feira, na semana "fecha tudo" | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax

O primeiro dia de restrições com fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais deixou o Centro de Campo Grande ‘deserto’. Já nos bairros, a movimentação é menor em relação a um dia normal. A reportagem do Jornal Midiamax percorreu bairros da cidade para verificar a movimentação no 1º dia da semana ‘fecha tudo’.

O ponto mais movimentado da cidade, na Rua 14 de Julho, o cenário era desértico na manhã desta segunda-feira (22). Na quadra entre a avenida Afonso Pena e a Rua Barão do Rio Branco havia apenas 1 farmácia aberta.

Uma das poucas pessoas que estava por lá era Marcelo Albuquerque. Ele estava voltando para casa onde mora, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, também na região central. Albuquerque concorda com a medida, mas acredita que as pessoas devem respeitar mais as regras de biossegurança. “O grande problema não é o comércio, mas as pessoas que não respeitam”, disse.

Campo Grande
(Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Na avenida General Carlos Alberto, a principal do Bairro São Conrado, a situação é bem diferente. Apesar de ter apenas os comércios essenciais abertos, havia movimentação de pessoas, a maioria indo ou voltando de mercados.

Funcionária de uma lanchonete na região, Renata Braga disse que o movimento no estabelecimento onde trabalha foi pouco afetado. “As pessoas já estão acostumadas mesmo a pegar salgado e levar para comer em casa”, explicou.

Já no Bairro Tijuca, a barbeira Alessandra Pereira estava sentada em frente de casa, já que não pode abrir seu salão. Ela contou que percebeu a diminuição no movimento. “Deu para ver que está mais vazia [a rua] e não tem tanta gente, tanto carro como  de costume”, observou.

Mesma situação foi verificada por Weslen Martins, que trabalha em um pet shop. “Normalmente esse horário é bem cheio, em comparação está bem vazio”, completou.

Campo Grande
(Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Semana ‘fecha tudo’

Entra em vigor nesta segunda-feira (22) o decreto municipal que antecipa feriados para evitar a circulação de pessoas em Campo Grande, que já vive colapso na saúde devido ao coronavírus. Na prática, o decreto funciona como um ‘fecha tudo’, mas alguns serviços foram autorizados a funcionar, como restaurantes e igrejas.

Conforme o decreto, a restrição de funcionamento do comércio fica em vigor desta segunda-feira (22) até o domingo (28). Podem funcionar somente as atividades listadas no documento, se respeitadas as regras de biossegurança, o limite máximo de lotação de 40% da capacidade total permitida e ainda o toque de recolher.

Assim, quatro feriados municipais foram antecipados para segunda-feira (22), terça-feira (23), quarta-feira (24) e quinta-feira (25). Os feriados são do dia de Santo Antônio (13 de junho) e Aniversário de Campo Grande (26 de agosto) de 2021 e de 2022,  Na sexta-feira (26), o Governo do Estado deve antecipar o Dia da Criação de Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax