Cotidiano

Naviraí flexibiliza horário do comércio, mas proíbe casas de eventos

A prefeitura de Naviraí divulgou novas regras em relação a pandemia do coronavírus. Entre as medias, o horário de funcionamento de restaurantes e conveniências foi estendido até as 22h, além da reabertura dos parques da cidade. As diretrizes foram publicadas no decreto 01/2021, assinado na terça-feira (05). O Executivo Municipal flexibilizou o horário de funcionamento […]

Ranziel Oliveira Publicado em 06/01/2021, às 15h57 - Atualizado às 16h01

Prefeitura de Naviraí | Foto: Reprodução.
Prefeitura de Naviraí | Foto: Reprodução. - Prefeitura de Naviraí | Foto: Reprodução.

A prefeitura de Naviraí divulgou novas regras em relação a pandemia do coronavírus. Entre as medias, o horário de funcionamento de restaurantes e conveniências foi estendido até as 22h, além da reabertura dos parques da cidade. As diretrizes foram publicadas no decreto 01/2021, assinado na terça-feira (05).

O Executivo Municipal flexibilizou o horário de funcionamento dos restaurantes e conveniências. Antes, as conveniências poderiam vender até às 20 horas, agora, a venda de bebidas alcoólicas poderá ser até às 22 horas, com tolerância de fechamento e deslocamento para as residências até às 23 horas.

O cumprimento de protocolos já conhecidos como o uso de máscara, a higienização com utilização do álcool 70 e lavar as mãos diversas vezes ao dia foram mantidos. Porém, alguns ajustes foram determinados na questão do distanciamento social. A aglomeração está terminantemente proibida e, além disso, ficou estabelecido em 1,5 metro a distância permitida entre as pessoas.

O novo decreto também permite a reabertura dos parques da cidade. A administração municipal afirma que o fato de caminhar e realizar exercícios físicos proporcionam saúde e qualidade de vida, desde que as regras de biossegurança sejam seguidas.

Já os resorts, locais popularmente conhecidos como casas para eventos fechados e festas sociais são um dos grandes problemas, pois, os frequentadores não têm obedecido os protocolos de biossegurança. “Infelizmente, tivemos que decidir pela proibição do funcionamento dos resorts, justamente pelo descumprimento das ordens de prevenção”, justifica a prefeita Rhaiza Matos.

Fiscalização

Conforme a gestão do município, as fiscalizações por parte da Vigilância Sanitária e Polícia Militar serão constantes. Não haverá perseguição, mas, a exigência do cumprimento do decreto. As medidas repressivas serão executadas, se necessário, lembrando que o valor da multa pelo descumprimento do decreto será de R$ 300, e R$ 600 para caso reincidente.

Jornal Midiamax