Cotidiano

Prefeitura libera telefone 156 para população solicitar retirada de árvores que caíram no temporal

Pedidos de retirada de árvores foram resultado da tempestade de poeira com ventos de 94 km/h que atingiram Campo Grande

Humberto Marques Publicado em 15/10/2021, às 17h03

Árvore na Ernesto Geisel, ao lado do Horto Florestal, foi arrancada durante a tempestade de poeira
Árvore na Ernesto Geisel, ao lado do Horto Florestal, foi arrancada durante a tempestade de poeira - Marcos Ermínio

A Prefeitura de Campo Grande informou que, diante da situação de emergência ocasionada pela tempestade de poeira com ventos de até 94 km/h que atingiu a cidade por volta das 14h desta sexta-feira (15), o telefone da Central 156 foi disponibilizado para atendimento e registro de solicitações de retiradas de árvores que interromperam o tráfego de veículos ou representam riscos de acidentes.

Em comunicado distribuído via assessoria, a Prefeitura de Campo Grande ainda afirmou que, “a fim de tranquilizar a população”, destacou que as equipes responsáveis estão de prontidão para agilizar atendimentos.

A medida foi tomada diante das consequências da tempestade de poeira. Os ventos oscilaram entre 54 km/h e 94,45 km/h, conforme informações do meteorologista Natálio Abrão. Apesar de impressionante, o fenômeno teve como efeito imediato a redução da visibilidade –restrita a 800 metros, que forçou o fechamento do Aeroporto Internacional. Os maiores problemas vieram na sequência.

Desde a ventania, relatos de quedas de árvores se multiplicaram por Campo Grande. Uma delas, na Avenida Mato Grosso, pouco acima da Via Parque, destruiu um Toyota Corolla e a varanda de uma residência, fechando totalmente o trânsito no sentido bairro-centro. A estimativa era de que a remoção seria concluída em 2 horas.

Também houve relatos de quedas de árvores em diversas outras regiões, como na alça de acesso da Rua Ceará à Avenida Afonso Pena (sentido Parque dos Poderes), na Avenida Calógeras (próximo à Rua da Liberdade) e na Avenida Ernesto Geisel (ao lado do Horto Florestal), entre muitas outras.

Jornal Midiamax