Cotidiano

Prefeitura de Naviraí confirma 8 casos de dengue e realiza mutirão contra o Aedes aegypti

Trabalho da Prefeitura de Naviraí começa pelos bairros Sol Nascente, Beija Flor e Inocoop e inclui retirada de lixo a partir de segunda-feira

Danúbia Burema Publicado em 20/03/2021, às 07h39 - Atualizado às 07h39

Trabalho da Prefeitura de Naviraí inclui o lacre de fossas | Foto: Divulgação
Trabalho da Prefeitura de Naviraí inclui o lacre de fossas | Foto: Divulgação - Trabalho da Prefeitura de Naviraí inclui o lacre de fossas | Foto: Divulgação

A Prefeitura de Naviraí deu início a mutirões de combate ao Aedes aegypti por bairros do município. A medida acontece após o Controle de Vetores receber 35 notificações de dengue e confirmar 8 casos.

O trabalho teve início pelas regiões dos bairros Sol Nascente, Beija Flor e Inocoop. Ele será ampliado na segunda-feira (22), com a participação da Gerência Municipal de Serviços Públicos. Assim, equipes da prefeitura passarão pelas ruas removendo lixos e inservíveis.

Conforme o Controle de Vetores, o mutirão envolve a aplicação do inseticida Cielo, recomendado para matar o Aedes aegypti. Então, a borrifação ocorre durante vistorias em residências, quintais e terrenos baldios.

O Ministério da Saúde determina que o inseticida só seja aplicado onde há focos do mosquito. Por isso, os agentes se concentraram nas demais ações de combate ao Aedes. Entre elas, a eliminação de recipientes que acumulam água e podem se tornar criadouros.

A coordenadora Érica Cristina do Amaral (Controle de Vetores) explicou que, além do combate, os 18 agentes de duas equipes orientam os moradores.

“Este trabalho é rotina, porém, notificamos 35 casos nestes bairros, sendo 8 caos positivos de dengue, por isso, este mutirão”, disse Érica.

Serviços Públicos inicia retirada de lixo em bairros de Naviraí na segunda-feira

A Gerência Municipal de Serviços Públicos entrará no mutirão na segunda-feira. Assim, ela cuidará da limpeza geral dos bairros alvos da ação.

“Estamos orientando os moradores que retirem todo o lixo dos quintais, sejam entulhos, galhos de árvores e recipientes que acumulam água e depositem à beira do meio-fio, fora da calçada, para facilitar a coleta”, solicitou Érica Cristina.

“Da Avenida Caiuá até a rua Maurício Gonçalves e da Avenida Amélia Fukuda até a Weimar Torres, estamos fazendo um ‘pente fino’, inclusive lacrando fossas”, disse. “Mas precisamos da efetiva participação das famílias e dos moradores nesta ação de eliminação de criadouros para que não tenhamos uma pandemia de dengue em nossa cidade”.

Jornal Midiamax