Os binóculos, que utilizam tecnologia térmica avançada para detecção de pessoas e veículos a uma distância de até 8 quilômetros, foram adquiridos pela Seopi (Secretaria de Operações Integradas) do Ministério da Justiça e Segurança Pública e serão destinados aos agentes de segurança pública que atuam no Vigia (Programa Nacional de Vigilância das Fronteiras e Divisas), com o objetivo de potencializar a prevenção e repressão da criminalidade.

Além dos capacetes, os binóculos vêm com tripé, baterias, cabos e computadores para visualizar as imagens e possibilitam o aumento da consciência situacional das equipes policiais em atuação nas fronteiras e utilizam tecnologia superior na ampliação da visão termal, com capacidade de juntar imagens e sua geolocalização, processo pelo qual algo ou alguém pode ser localizado com base em coordenadas geográficas.

Dos 34 binóculos de visão noturna entregues a Mato Grosso do Sul, 28 irão para a Polícia Militar e 6 para a Polícia Civil.

A entrega dos novos equipamentos, que conta com as presenças do secretário Adjunto da Seopi, Bráulio do Carmo Vieira de Melo, do coordenador-geral de Fronteiras da Seopi, Tarso Sanson Silva e do secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, será realizada durante a formatura do VII CEPFron (Curso de Especialização em Policiamento de Fronteiras), realizado pelo DOF, para especializar 32 policiais para atuação na região de fronteira.

Dos novos especialistas, 25 são policiais militares e 1 policial civil do Mato Grosso do Sul, 1 policial militar do Mato Grosso, 1 PM do Tocantins, 1 PM de Santa Catarina, 1 PM de Goiás, 1 PM de Rondônia e 1 PM do Rio Grande do Sul.

Outras entregas

Além de Mato Grosso do Sul, os estados de Mato Grosso, Rondônia e Acre, também recebem equipamentos na mesma solenidade. Ao todo, serão entregues 67 binóculos de visão noturna e 153 pares de placas de proteção balística, kits de atendimento pré-hospitalar tático, bem como aporte financeiro de R$ 8,3 milhões, aos 32 policiais formados no CEPFron.

O Acre recebe 15 binóculos e 51 pares de placas de proteção balística, o Amapá recebe 4 binóculos, recebe 13 pares de placas de proteção balística, Mato Grosso recebe 12 binóculos e 32 pares de placas de proteção balística e Rondônia 6 binóculos e 18 pares de placas de proteção balística.

Sobre o CEPFron

Quando o assunto é especialização no enfrentamento aos crimes típicos da região de fronteira, o CEPFron é referência nacional. O curso foi idealizado pelo então diretor do DOF (Departamento de Operações de Fronteira), coronel Osnei Nazareth Duarte, que realizou a primeira edição do CEPFron em 2013, em Dourados.

Desde a criação, o curso já formou 176 policiais militares, civis, rodoviários federais e promotores de justiça, além de militares do exército dos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Mato Grosso.

A finalidade do curso é especializar agentes de segurança pública na execução de policiamento ostensivo, focando na ação voltada ao enfrentamento dos crimes transfronteiriços e as circunstâncias que os envolvem, por meio de conhecimentos técnicos e operacionais, para uma rápida e efetiva resposta ao crime nas fronteiras do Brasil, e Bolívia, como o tráfico de drogas, armas de fogo, munições, contrabando e descaminho, dentre outros.

Com 327 horas/aulas, grade curricular do curso conta com 22 disciplinas, que são distribuídas em aulas teóricas e práticas, dentre elas técnicas de entrevista, identificação de explosivos, enfrentamento de fraudes veiculares, atendimento pré-hospitalar tático, patrulha policial rural, direção policial, técnicas e táticas de confrontos armados, tiro policial e busca veicular.