Cotidiano

Planejando ‘vacinação junina’, MS precisa de aval de Conselhos Estaduais para receber doses da Janssen

Ministro da Saúde apoia vacinação em massa do Estado, mas decisão cabe aos Conselhos, explica Resende

Dândara Genelhú Publicado em 09/06/2021, às 14h31

Vacinação pode ser realizada em até três dias em municípios do interior.
Vacinação pode ser realizada em até três dias em municípios do interior. - Foto: Leonardo de França | Midiamax

Um fio de esperança, é assim que Mato Grosso do Sul se encontra nesta quarta-feira (9). O Estado pode vacinar toda a população contra Covid-19 ainda neste mês, com mutirão temático de festa junina. Para isso, é preciso que os Conselhos Estaduais aprovem o pedido do Cosems-MS (Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso do Sul) para envio de 3 milhões de doses da Janssen, imunizante contra o coronavírus da Johnson & Johnson.

Ao Jornal Midiamax, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse que MS está em contato com a diretoria do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde). “Nós estamos fazendo um esforço para conseguir esse convencimento do Conass”. Também será preciso aprovação do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde).

O secretário conversou com a coordenadora geral do PNI (Plano Nacional de Imunização), Francieli Fantinato, sobre o pedido de vacinação em massa em MS. “E também liguei para o ministro [da Saúde], ele disse que vai apoiar mas que com a decisão construída através da Câmara Técnica, que reúne o Conass, Conasems e o Ministério da Saúde”, destacou.

De acordo com ele, o ministro Marcelo Queiroga disse que vai ajudar na vacinação em massa. “Ele falou que vai ajudar no que for possível, mas não pode assumir uma decisão que precisa ouvir Câmara Técnica, secretários estaduais e municipais. Mas nós vamos fazer esse trabalho de convencimento”.

Vacinação junina em 5 dias

As vacinas devem chegar ao Brasil na semana que vem e devem ser utilizadas antes de 27 de junho, quando acaba o prazo de validade dos imunizantes. Assim, se aprovado, MS vacinaria a população inteira em um mês junino.

“Você imagina a gente fazendo aqui um mutirão de vacinas, inclusive usando temas dessa época do ano, como se fosse uma festa junina”, disse animado. O secretário ainda detalhou como poderia ser a vacinação no Estado: “Todo mundo paramentado e tocando músicas”.

No ofício da Cosems-MS enviado ao ministro da Saúde, é destacado o prazo de cinco dias para completar a vacinação do Estado inteiro. Assim, Geraldo ressalta que “o compromisso nosso é fazer a vacinação em cinco dias, nos municípios pequenos a gente consegue fazer a vacinação em dois ou três dias”.

Segundo ele, os cinco dias seriam necessários para cidades mais populosas. “Campo Grande e Dourados, que tem uma quantidade maior de pessoas, vamos ter que fazer de manhã, tarde e noite. Até de madrugada, se for possível”, informou.

Estudo científico

Geraldo lembrou que “a princípio essas vacinas seriam destinadas apenas para as capitais de todos os estados e distribuídas proporcionalmente”. No entanto, por causa da “situação de Mato Grosso do Sul e também porque essa vacina tem o prazo de validade até 27 de junho, nós estamos pedindo”.

Além do estado crítico da pandemia que MS enfrenta, foi usada como justificativa para a vacinação em massa a possibilidade de um estudo científico sobre a eficácia da vacina Janssen. “Estamos pedindo também para fazer um estudo da efetividade dessa vacina, que poderá ser acompanhado pelos nossos infectologistas aqui”.

Ele citou como nomes para o estudo os profissionais como Júlio Croda, Rivaldo Venâncio, Lúcia Lírio e a equipe da Secretaria de Saúde. Ele acredita que assim, o Estado pode “mostrar para o país a efetividade dessa vacina”.

A vacinação é “não só para conter a doença, mas para servir de estudo já que é dose única e hoje o Ministério terá muita mais facilidade para aplicá-la no futuro''. O Estado conta com apoio de parlamentares para convencer os Conselhos Estaduais. “Estou tentando fazer isso agora, para o senador Nelsinho Trad que é o coordenador da bancada, para que ele também possa mostrar a importância dessa vacinação em MS”.

Jornal Midiamax