Cotidiano

Pela 1ª vez na semana, MS se mantém com 98% de lotação nas UTIs Covid-19 durante todo o dia

Restam sete vagas para novas internações de pacientes com quadros graves da doença

Dândara Genelhú Publicado em 22/04/2021, às 18h28

Campo Grande ainda está com superlotação das UTIs Covid-19.
Campo Grande ainda está com superlotação das UTIs Covid-19. - Foto: Reprodução | HRMS.

Nesta quinta-feira (22), Mato Grosso do Sul manteve 98,82% de lotação nas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) exclusivas para Covid-19. Assim, depois de diversos dias com superlotação, o Estado ainda tem sete vagas disponíveis para novas internações. 

No total, são 592 leitos de UTI existentes em todo o Estado. Desses, 585 estão ocupados com pacientes de quadros graves da Covid-19. 

Os dados são do Painel Mais Saúde, disponibilizado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). Para a matéria, foi usada a atualização do sistema até Às 18h10 desta quinta-feira (22). 

Além das UTIs, MS também possui leitos clínicos para Covid-19. A ocupação é de 56,16% no final do dia. São 1.266 leitos existentes e 711 destes estão com pacientes em estado grave da doença. Assim, restam 555 vagas para novas internações. 

Em Campo Grande, capital do Estado, a ocupação das UTIs é de 101,16%. Ou seja, com quatro pacientes além da capacidade, a cidade está com superlotação. Então são 350 pessoas sendo tratadas, mas existem apenas 346 leitos deste tipo. 

Nos leitos clínicos da cidade, são 350 pacientes sendo tratados, o que gera ocupação de 72,82%. Existem 482 leitos deste tipo na cidade, então 132 ainda estão disponíveis para novas internações. 

Na última semana, capitais do Brasil apresentaram queda nas ocupações das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Em ritmo contrário, Campo Grande registrou 106% de superlotação destes leitos e foi classificada com a pior taxa de lotação do país. Os dados são do levantamento da Folha de São Paulo, com base nas ocupações do dia 19 de abril.

Jornal Midiamax