Cotidiano

Pedidos de seguro-desemprego caem 15% nos 4 primeiros meses de 2021 em Mato Grosso do Sul

Trabalhador demitido tem direito a receber de 3 a 5 parcelas de auxílio do governo federal

Gabriel Maymone Publicado em 11/05/2021, às 12h31

Abril de 2020 teve pico de pedidos de seguro-desemprego em MS
Abril de 2020 teve pico de pedidos de seguro-desemprego em MS - Divulgação

O número de pedidos de seguro-desemprego caiu 15% nos primeiros 4 meses de 2021 em Mato Grosso do Sul em relação ao mesmo período de 2020, conforme dados do Ministério da Economia. 

O levantamento mostra que de janeiro a abril de 2020 foram 34.780 pedidos de seguro-desemprego realizados em MS frente a 29.450 no início de 2021. O pico do ano passado ocorreu justamente no mês de abril - primeiro mês da pandemia no Estado, com 10.540 pedidos, sendo mais de 60% deles na 2ª quinzena.

Até então, o número de pedidos de seguro-desemprego que chegou mais perto havia sido em janeiro de 2019, com 10.312 pedidos. Em abril de 2021, foram realizados 7.887 solicitações.

A diminuição de desempregados que solicitaram o benefício representa um momento mais estável da economia, mesmo em meio à pandemia do coronavírus. Os dados são reforçados pelos números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que registrou crescimento de 87% no crescimento do emprego formal no Estado em um ano.

Seguro-desemprego

É um auxílio pago de 3 a 5 parcelas a trabalhadores que foram demitidos. A solicitação pode ser feita por profissionais de carteira assinada demitidos sem justa causa; que tiveram rescisão indireta de contrato de trabalho; empregados domésticos; trabalhador sem renda suficiente para manter a si e sua família; resgatado de condição análoga à escravização; pescadores durante o período do defeso.

O valor de cada uma delas é calculado pela média dos três últimos salários multiplicado por uma porcentagem. Se o valor da média for até R$ 1.599, 61, será feita uma multiplicação por 0,8 (80%); entre R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29, por 0,5 (50%), mais R$ 1.279,69. Acima de R$ 2.666,29, o valor é fixado em R$ 1.813,03. Para pescadores, trabalhadores resgatados de condição análoga à escravização e empregados domésticos, o valor é fixado no salário mínimo vigente (R$ 1.045).

Como solicitar?

  • Primeiro, o interessado deve fazer o cadastro no site Portal Emprega Brasil, ou seja , no https://empregabrasil.mte.gov.br/ . Caso já tenha um, basta informar usuário e senha.
  • Será necessário informar dados pessoais (CPF, nome, data de nascimento, nome da mãe, estado de nascimento (se for nascido no exterior, a opção será “Não sou brasileiro”). Essas informações serão validadas no Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis). Caso estejam corretas, o trabalhador será direcionado a responder um questionário com cinco perguntas sobre seu histórico laboral. É importante ter em mãos a Carteira de Trabalho e acertar pelo menos quatro das cinco perguntas. Em seguida, o trabalhador receberá uma senha provisória que deverá ser trocada no primeiro acesso. Caso o usuário não consiga acertar as respostas, terá de aguardar 24 horas para uma nova tentativa ou entrar em contato com a central 135 do INSS para auxílio.
  • Ao finalizar o cadastro, o trabalhador terá acesso aos serviços do Emprega Brasil. Uma das opções será “Solicitar Seguro-Desemprego”.
  • Será necessário preencher um cadastro com informações pessoais e profissionais, o mesmo que era preenchido anteriormente nos postos do Sine.

O cadastro está dividido em oito páginas, com informações pessoais, profissionais, acadêmicas, vagas de emprego e cursos de qualificação disponíveis. Ao finalizar o preenchimento de cada página, o próprio programa direciona o trabalhador automaticamente para a página seguinte:

  • Uma das páginas permite ao trabalhador colocar informações sobre sua qualificação acadêmica e profissional, dados importantes para que o programa busque vagas de emprego disponíveis na área do trabalhador:
  • As vagas de emprego são relacionadas automaticamente pelo programa:

O agendamento para as vagas de emprego é muito simples e intuitivo:

  • O trabalhador tem ainda a opção de se inscrever em cursos de qualificação:
  • Ao final, basta confirmar o interesse em solicitar o benefício do Seguro-Desemprego:

Aí, é só agendar o atendimento presencial para confirmar o cadastro e aguardar a liberação das parcelas, o que deve ocorrer 30 dias após o preenchimento do documento pela internet.

Se a data para o atendimento presencial ultrapassar o prazo de 30 dias, a emissão da parcela ocorrerá na semana seguinte ao atendimento.

Jornal Midiamax