Cotidiano

Pecuaristas de MS entram para lista da Forbes das “100 Mulheres Poderosas do Agro”

Edy Elaine Tarrafel e Tereza Cristina representam MS e provam o sucesso do agronegócio nas mãos de mulheres

Nathália Rabelo Publicado em 17/10/2021, às 14h25

Edy Elaine Tarrafel e Tereza Cristina são eleitas umas das "100 Mulheres Poderosas do Agro” pela Forbes
Edy Elaine Tarrafel e Tereza Cristina são eleitas umas das "100 Mulheres Poderosas do Agro” pela Forbes - Foto: Reprodução/Forbes

O segmento agropecuário é visto predominantemente masculino por questões ancestrais e culturais. No entanto, essa ideia está se tornando cada vez mais ultrapassada enquanto as mulheres tomam as rédeas dos negócios e criam verdadeiros impérios dentro do segmento. Não é à toa que, na última sexta-feira (15), duas pecuaristas de Mato Grosso do Sul foram selecionadas para a lista da Forbes das “100 Mulheres Poderosas do Agro”.

A Forbes é a principal revista de negócios e economia do mundo. Para a lista, a empresa selecionou representantes do movimento agropecuário que geram mudanças no campo.  São mulheres que se destacam em diferentes setores: produção de alimentos de origem vegetal e animal, na academia, na pesquisa, nas empresas, em foodtechs, em consultorias, em instituições financeiras, na política, nas entidades e nos grupos de classe e, mais do que nunca, nas redes sociais.

Dentre os 100 nomes da lista, os de Edy Elaine Tarrafel e Tereza Cristina são destaques por representarem tão bem o Estado de Mato Grosso do Sul.

Na posição 36ª está Edy Elaine Tarrafel. Ela é pecuarista em Mato Grosso do Sul e presidente dos sindicatos rurais dos municípios de Ivinhema e Novo Horizonte. Na pecuária, assumiu a propriedade da família quando tinha 20 anos de idade, em 1998. A presidência do sindicato também veio cedo, em 2002, tornando-se a primeira mulher no estado a assumir esse tipo de instituição. Hoje, é uma liderança na sua região.

Edy Elaine Tarrafel é uma das “100 Mulheres Poderosas do Agro” (Foto: Reprodução/Forbes)

Já 95ª posição é destaque da ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina. De Campo Grande, a engenheira agrônoma trabalhou por 10 anos na propriedade da família, no Estado, antes de iniciar a sua vida polícia.

À frente da pasta desde 2019, ela tem marcado seu trabalho pela abertura de novos mercados para os produtos brasileiros, a integração da agricultura familiar nas políticas de agro e a preparação do país para encontros internacionais, como a COP-26 em novembro.

Tereza Cristina é uma das “100 Mulheres Poderosas do Agro” (Foto: Reprodução/Forbes)

Negócios em Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul também foi destaque em outras duas classificações da mesma categoria. De acordo com a lista da Forbes, outras mulheres também são reconhecidas como as "100 Mulheres Poderosas do Agro” com seus respectivos negócios existentes na região.

É o caso de Amália Sechis, da 10ª posição. Ela é sócia-fundadora da Beef Passion, marca de carne bovina das raças angus e wagyu e seus cruzamentos, criados em Mato Grosso do Sul e terminados no interior de São Paulo. Foi ela que convenceu o pai, Antônio Sechis, no que se tornaria um projeto de referência em pesquisa de qualidade da carne junto a instituições como Unesp (Universidade Estadual Paulista) e Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande (MS). A criação e o manejo, que inclui até música no ambiente confinado, é referência em bem-estar animal.

Já na 94ª posição, a pecuarista e socióloga Teka Vendramini comanda a terceira geração no agronegócio. Ela foi eleita em 2020 a primeira mulher presidente da SRB (Sociedade Rural Brasileira), associação fundada em 1919. O foco de sua gestão tem sido temas socioambientais, principalmente.  Na lida do campo Teka trabalha com melhoramento genético, qualidade de pastagem e bem-estar animal em propriedades localizadas em São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Confira a lista completa das “100 Mulheres Poderosas do Agro” da Forbes clicando aqui.

Jornal Midiamax