Cotidiano

Passaporte de vacina de MS pode seguir modelo do Rio, que limita entrada em cinemas e academias

Presidente do Prosseguir, Eduardo Riedel, disse que molde carioca 'talvez seja um exemplo'

Gabriel Maymone e Renata Barros Publicado em 27/09/2021, às 11h36

Eduardo Riedel durante lançamento do programa de retomada de MS
Eduardo Riedel durante lançamento do programa de retomada de MS - Marcos Ermínio / Midiamax

Após alcançar a imunidade coletiva com 70% de adultos vacinados contra covid, Mato Grosso do Sul encontrou dificuldades em avançar na imunização, diante da resistência, principalmente, dos mais jovens. Dessa forma, uma das estratégias do governo para ampliar esse número será a implementação do "Passaporte VacinaMS", que poderá seguir o modelo adotado no Rio de Janeiro, que restringe a entrada de não vacinados em cinemas, teatros e academias. A princípio, o projeto deve exigir a comprovação da 1ª dose para entrada em eventos com mais de 100 pessoas.

O diretor do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), Eduardo Riedel, adiantou que ainda não foram definidos detalhes do projeto. "Não temos nenhum detalhe. Existem outros modelos que já foram colocados em outros municípios ou estados, o Rio de Janeiro talvez tenha sido a cidade que saiu na frente nesse sentido e talvez seja um exemplo", detalhou.

Ainda conforme Riedel, o passaporte deve aumentar o alcance vacinal no Estado. "A gente tem respeitado as responsabilidades individuais, mas temos chamado a responsabilidade para que as pessoas se vacinem. O passaporte, talvez, seja a única medida nesse contexto, quando você esgota, completamente, todas as discussões em torno de chamar as pessoas. O passaporte seria uma medida a mais", pontuou.

O projeto deve ser encaminhado para discussão na Alems (Assembleia Legislativa de MS) ainda nesta segunda-feira. 


Documento de vacinação contra covid poderá se tornar obrigatório em MS - Foto: Marcos Ermínio / Midiamax

Sobre a obrigatoriedade da vacina, Riedel declarou que é uma possibilidade. "A gente tem que lembrar que é uma minoria que não tomou a vacina, agora se a gente entender que seja necessária essa obrigatoriedade por algum motivo, nós vamos avaliar essa decisão baseada na ciência, no conhecimento, nos resultados, nós não hesitaremos".

Passaporte da vacina no Rio

Desde 15 de setembro é exigido documento comprovando vacinação para cidadãos entrarem em diversos pontos e estabelecimentos do Rio de Janeiro. A cidade se tornou pioneira e modelo dessa prática no Brasil.

Assim como anunciado em MS, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), declarou que essa fase seria uma "preparação para abertura" da cidade.

Somente com o comprovante da vacina é permitido entrar em locais como cinemas, teatros e academias. 

Jornal Midiamax