Cotidiano

Outubro Rosa: Com tatuagem nos seios, projeto em MS devolve autoestima a mulheres com câncer

'Não tem como apagar a história dessas mulheres, mas é possível trazer um novo significado', conta Larissa

Mariane Chianezi Publicado em 06/10/2021, às 07h11

None
Divulgação/Projeto Ressignificar

Para trazer um novo significado para a vida das mulheres que venceram o câncer de mama, o projeto Ressignificar vai atender, gratuitamente, mulheres de Mato Grosso do Sul que querem reconstruir aréola e mamilos. Por meio da tatuagem ou a micropigmentação, Larissa Fogaça devolve autoestima para as sobreviventes do câncer de mama.

Em parceria com a PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul), Larissa estará atendendo mulheres em quatro cidades em datas já definidas — Caarapó (13/10), Ponta Porã (14/10), Dourados (15/10) e Campo Grande (19 a 22/10).

Larissa contou ao Jornal Midiamax que o trabalho com o projeto Ressignificar surgiu após um acontecimento na família. “Meu primo foi diagnosticado com um câncer na têmpora. Por um milagre, o câncer sumiu e eu falei para minha prima que precisava realizar algo para as pessoas, para ajudar, para agradecer de alguma forma essa benção”, disse.

A esteticista então soube que em Campo Grande não havia nenhum profissional que realizasse a reconstrução de aréolas de mulheres que precisaram retirar parcial ou totalmente o seio em consequência do câncer de mama e, foi então, que descobriu a sua ‘missão’ o seu ‘dom’, como diz.

Ela realizou curso e se aperfeiçoou em micropigmentação, se especializando em camuflagem de cicatrizes. “Quando soube dessa necessidade [em Campo Grande] eu pensei ‘meu Deus, é isso’, é dessa forma que vou ajudar as pessoas. Era justamente o que eu gostaria de fazer. No mesmo ano que terminei o curso, eu comecei o atendimento”, pontuou.

Quando Larissa termina a reconstrução nos seios das mulheres e mostra a elas o antes e depois, a emoção toma conta. “Não estou ganhando nada com isso financeiramente, mas essas mulheres já sofreram muito e precisam de apoio. Eu recebi uma graça por meio das minhas mãos e quero ajudar”, se emocionou dizendo.

[Colocar ALT]
Reprodução

Ao longo dos três anos atendendo mulheres que venceram o câncer de mama, Larissa já atendeu mais de 70 moradoras em Campo Grande e agora expandiu o projeto para o interior com o apoio da PMMS.

“Eu fui até o comando da PM e pude conversar com a esposa do comandante, que me escutou, conheceu o meu projeto e depois a parceria foi firmada. Graças a Deus tive todo o suporte e condições de poder atender outras mulheres que precisam recuperar a sua autoestima nas cidades do interior”, disse.

Agora, no mês de outubro, as ações vão acontecer em Caarapó, Ponta Porã, Dourados e Três Lagoas, mas Larissa explica que atende as mulheres que venceram o câncer de mama durante todo o ano, basta entrarem em contato com ela.

“Não tem como apagar a história dessas mulheres, mas é possível trazer um novo significado”, disse.

Jornal Midiamax