Cotidiano

No Dia do Campo, comunidades agrícolas recebem visita de técnicos da Sedesc

O Município apoia 24 comunidades de agricultores familiares e as ações desenvolvidas na área urbana

Mariane Chianezi Publicado em 10/05/2021, às 14h05

As visitas aconteceram nesta segunda-feira (10)
As visitas aconteceram nesta segunda-feira (10) - Divulgação/PMCG

Nesta segunda-feira (10), é comemorado o Dia do Campo e, aproveitando a data, a Sedesc (Superintendência do Agronegócio da Sedesc) realizou visitas a comunidades agrícolas de Campo Grande. Levantando necessidades e sugerindo soluções que conduzam ao incremento da produção.

Um exemplo é a visita feita ao Assentamento São Luiz, onde os técnicos acompanharam o trabalho em três setores: produção de ovos, cultura de limão e pepino.

“A data comemorada hoje tem como objetivo promover a conscientização da sociedade sobre a importância do campo para a economia e o meio ambiente, além de incentivar a exploração consciente e sustentável de todos que trabalham com atividades relacionadas ao campo”, comentou o Superintendente do Agronegócio da Sedesc, Walter Sérgio Ribeiro de Lima.

Em Campo Grande, a Prefeitura, através da Sedesc, apoia integralmente as 24 comunidades de agricultores familiares e as ações desenvolvidas na área urbana, que já conta com quase 100 hortas urbanas e projetos vitoriosos como o 'Saladão', que hoje está em pausa por conta da pandemia de coronavírus. Campo Grande oferece auxílio no processo de produção, comercialização e consumo dos produtos que vão do campo para a mesa dos consumidores.

Plano Municipal de Agricultura Urbana

Além disso, a Prefeitura criou o Plano Municipal de Agricultura Urbana, com objetivo principal de promover práticas agroecológicas que envolvam a produção, o agroextrativismo sustentável, a coleta, a transformação e a prestação de serviços, de forma segura, para gerar produtos voltados ao consumo próprio, trocas, doações ou comercialização, aproveitando de forma eficiente e sustentável os recursos e insumos locais.

O Plano, que no momento está sendo regulamentado, será formado por dois programas: o Hortas Urbanas e o Agricultura Agroecológica. Esses dois programam permeiam todas as ações do agronegócio no município, como as hortas urbanas, o Saladão, o futuro Núcleo Agroecológico será implantado na zona oeste do município, numa área com cerca de 30ha, ao lado do Polo Empresarial Oeste.

A Sedesc deverá receber ainda esta semana uma comissão da Associação de Fruticultores da região das Três Barras (onde fica a Escola Agrícola) para começar a analisar a possibilidade de implantar ali um polo municipal de fruticultura.

Jornal Midiamax