Cotidiano

Na pandemia, tapete de Corpus Christi diminui para manter tradição

Arquidiocese recomendou que paróquias realizem missas em horário único

Adriel Mattos e Danielle Errobidarte Publicado em 03/06/2021, às 09h48

None
Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax

A pandemia de Covid-19 não afastou fiéis das celebrações de Corpus Christi nesta quinta-feira (3) em Campo Grande. Pelo segundo ano consecutivo, as paróquias precisaram seguir as normas de biossegurança da prefeitura.

Em anos anteriores, o tapete confeccionado na Rua 14 de Julho chegava a reunir 30 mil pessoas. Neste ano, uma versão menor de 20 metros foi montada em frente à Paróquia Coração Eucarístico de Jesus, no bairro Coophatrabalho.

O arcebispo da Capital, Dom Dimas Lara Barbosa, comandou as celebrações. Todas as paróquias foram orientadas a realizar as missas às 9h, incluindo as da área rural.

Na Coração Eucarístico de Jesus, cadeiras foram colocadas na área externa para garantir o distanciamento. Apenas alguns fiéis foram selecionados para confeccionar o tapete.

“A intenção é manter viva a tradição, nos manter unidos na fé. Corpus Christi é partilha. Um dia, ajudamos, e no outro, somos ajudados”, disse o padre Alex Messias, sobre a arrecadação de alimentos para famílias carentes.

Um dos fiéis, que se identificou apenas como Luiz, levou a mãe de 85 anos. “Tenho fé de que essa pandemia logo vai acabar. É importante estar aqui, mas temos que respeitar a ciência”, disse.

Fátima Marquine, de 64 anos, também levou a mãe de 80 anos. Em 2020, ela acompanhou as celebrações pela televisão e este ano, fez questão de participar presencialmente. “Sempre fui ver o tapete, e quando soube que teria esse ano, eu quis ver”, ressalta.

Após a missa, Dom Dimas comandará a procissão do Santíssimo. De cada lado do tapete, haverá cadeiras com distanciamento de 1,5m, onde fiéis poderão receber a bênção.

Jornal Midiamax