Cotidiano

Na 1° etapa de vacinação contra coronavírus, 37% dos profissionais de saúde de Corumbá serão imunizados

A prefeitura de Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande, divulgou, nesta quarta-feira (20), o plano de imunização gradativa do grupo prioritário para vacina contra a Covid-19. Cerca de 37% dos profissionais da saúde devem ser vacinados na primeira etapa. O município recebeu a primeira remessa de doses na terça-feira (19). Como não há vacina […]

Karina Campos Publicado em 20/01/2021, às 13h57

Imunização no município seguiu o cronograma nesta quarta-feira. (Foto: Divulgação/PMC)
Imunização no município seguiu o cronograma nesta quarta-feira. (Foto: Divulgação/PMC) - Imunização no município seguiu o cronograma nesta quarta-feira. (Foto: Divulgação/PMC)

A prefeitura de Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande, divulgou, nesta quarta-feira (20), o plano de imunização gradativa do grupo prioritário para vacina contra a Covid-19. Cerca de 37% dos profissionais da saúde devem ser vacinados na primeira etapa.

O município recebeu a primeira remessa de doses na terça-feira (19). Como não há vacina suficiente para todos os moradores, os profissionais que atuam diretamente na linha de frente, como PS, UPA, Centro Covid e hospitais devem receber a imunização inicialmente priorizada. Os demais servidores deverão ser vacinados nos próximos envios da CoronaVac.

Confira as fases:

Fase 1 – Trabalhadores da saúde; pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas (como asilos e instituições psiquiátricas); população idosa a partir dos 75 anos de idade; população indígena; povos e comunidades tradicionais ribeirinhas.

Fase 2 – Pessoas de 60 a 74 anos.

Fase 3 – Pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras).

“A Secretaria de Saúde reitera que os grupos prioritários estabelecidos inicialmente no Plano Nacional de Vacinação estão sujeitos à alterações, conforme quantitativo de doses, produção e laboratório. Também existem grupos prioritários que ainda não foram elencados nas fases da campanha, estabelecido pelo Ministério da Saúde: pessoas de 80 anos ou mais; trabalhadores em educação; forças de segurança e salvamento; funcionários do sistema de privação de liberdade; pessoas com deficiências permanentes severas; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário e metroviário de passageiros; trabalhadores de transporte aéreos; trabalhadores de portuários; população privada de liberdade”, informou, em nota, o município.

Jornal Midiamax