Cotidiano

Municípios de MS se destacam na produção de eucalipto para celulose com produção acima de R$ 690 milhões

Pesquisa divulgada pelo IBGE revelou potencial do Estado para a silvicultura

Gabriel Maymone Publicado em 17/10/2021, às 09h30

Municípios de MS se destacam na silvicultura
Municípios de MS se destacam na silvicultura - Divulgação

Dados divulgados essa semana pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram o potencial de Mato Grosso do Sul para a silvicultura, que é a produção de floresta de eucaliptos para atender à demanda das indústrias de celulose.

Conforme a pesquisa, dois municípios de MS estão entre os que geraram maior valor de produção. O destaque ficou para Ribas do Rio Pardo, a 94 quilômetros de Campo Grande, que está recebendo obra da nova indústria da Suzano — com investimento de R$ 15 bilhões e a promessa de ser a maior do mundo.


Obras da fábrica da Suzano que promete ser a maior do mundo, em Ribas do Rio Pardo - Foto: Leonardo de França / Midiamax

Dessa forma, o município gerou R$ 322,2 milhões de produção em 2020. O resultado coloca Ribas do Rio Pardo na segunda colocação do país, atrás apenas de Telêmaco Borba, no Paraná, que produziu R$ 568 milhões no mesmo período.

Outro município que ganhou destaque por conta da produção de celulose foi Três Lagoas, que gerou R$ 290,6 milhões em produção em 2020, o sexto maior valor do país.

Maiores áreas de floresta

Mato Grosso do Sul também é destaque na área de florestas plantadas destinadas à silvicultura, segundo o IBGE. Entre os 10 municípios com as maiores áreas de florestas plantadas do Brasil, cinco estão em Mato Grosso do Sul; três, em Minas Gerais; um, no Rio Grande do Sul; e um, na Bahia.

As quatro primeiras posições são ocupadas por cidades daqui: Três Lagoas (263.921 hectares), Ribas do Rio Pardo (221 mil ha), Água Clara (134.742 ha) e Brasilândia (133.959 ha). Confira a lista completa na tabela abaixo:

Importância comercial

A celulose tem papel fundamental na economia de Mato Grosso do Sul. A balança comercial revela que esta commoditie representa 20,9% do total exportado pelo estado, atrás apenas da soja, que corresponde a 37,6% das vendas ao mercado internacional, segundo dados oficiais do governo.

De janeiro a setembro deste ano, a celulose foi responsável por gerar receita de 1,1 bilhão de dólares ao Estado, com venda de 3,1 toneladas do produto.

Sede das indústrias de celulose do Estado, Três Lagoas permanece como principal município exportador de produtos com 35,22%.

Jornal Midiamax