Cotidiano

MS tem recebido menos doses apesar de meta de vacinar 90% dos adultos em agosto

Secretário de Saúde reclamou que o Estado não tem recebido doses proporcionais à população

Mylena Rocha Publicado em 02/08/2021, às 11h46

Estado não tem recebido lotes com doses proporcionais à população.
Estado não tem recebido lotes com doses proporcionais à população. - Edemir Rodrigues/Governo de MS

Mato Grosso do Sul tem 78,6% da população adulta com a primeira dose e o objetivo é chegar a 90% de vacinados contra a covid dentro de duas semanas, mas as remessas com doses de vacina não têm sido encaminhadas como o esperado. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) alega que MS não tem recebido remessas com doses proporcionais à população. 

A afirmação foi feita pelo secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, durante live nesta manhã de segunda-feira (2). Se receber menos doses, é possível que Mato Grosso do Sul não atinja a meta da imunidade coletiva no prazo definido. 

“Espero que o Ministério da Saúde continue a fazer o envio das remessas proporcionalmente. Temos verificado que, nas últimas remessas, há uma diferença para menor no envio das vacinas para Mato Grosso do Sul”, disse o titular da SES. 

Resende afirma que já cobrou o Ministério, assim como a secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 e ex-diretora do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), Rosana Leite. “De forma nenhuma vamos aceitar [receber menos vacinas]”, reforçou. 

O secretário Geraldo Resende disse que pediu para que o Ministério da Saúde faça a reposição do quantitativo de doses que MS tem a receber. “Não podemos aceitar de nenhuma forma que possamos ser prejudicados. Fizemos o dever de casa tão bem, não podemos ser prejudicados porque fomos muito bem no processo vacinal”. 

Vacinação em MS

Dados do Vacinômetro apontam que Mato Grosso do Sul tem 78,6% dos adultos vacinados com a primeira dose e 44,8% com a imunização completa. Com relação à população em geral, incluindo crianças e adolescentes, o Estado tem 58,2% de vacinados e 33,2% com o ciclo vacinal completo. 

Jornal Midiamax