Cotidiano

MS recebe 30 mil novas doses da CoronaVac neste domingo

O Ministério da Saúde deve entregar neste domingo (7) 30 mil novas doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria do Instituto Butantan, de São Paulo, e a farmacêutica chinesa Sinovac. As caixas devem chegar em voo comercial previsto para às 14h25. Desde o início da semana, a SES (Secretaria de Estado de […]

Adriel Mattos Publicado em 07/02/2021, às 07h37 - Atualizado às 07h59

Foto: Edemir Rodrigues, Subcom-MS
Foto: Edemir Rodrigues, Subcom-MS - Foto: Edemir Rodrigues, Subcom-MS

O Ministério da Saúde deve entregar neste domingo (7) 30 mil novas doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria do Instituto Butantan, de São Paulo, e a farmacêutica chinesa Sinovac. As caixas devem chegar em voo comercial previsto para às 14h25.

Desde o início da semana, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) esperava receber 100 mil doses, mas o ministério adiou o envio da remessa e também reduziu o volume a ser disponibilizado.

Com esse novo lote, o Estado somará 220 mil doses recebidas. A primeira remessa, de 158,7 mil doses de CoronaVac, foi entregue em 18 de janeiro.

No dia 24, foram recebidas 22 mil doses da Covishield, imunizante desenvolvido em parceria da Universidade de Oxford e a farmacêutica britânica AstraZeneca. No Brasil, essa vacina é produzida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), do Rio de Janeiro.

E no dia 25, mais 10,2 mil doses da CoronaVac foram enviadas para Mato Grosso do Sul. A primeira remessa foi entregue pela FAB (Força Aérea Brasileira) e as demais vieram em voos de companhias privadas.

De acordo com o “Vacinômetro” da SES, já foram aplicadas 71.688 vacinas, o que representa 2,55% da população.

Estão sendo imunizados nesta etapa idosos com mais de 60 anos que moram em instituições como casas de repouso, pessoas com deficiência em residências inclusivas, além de indígenas que vivem nas aldeias e trabalhadores da área da saúde que estão na linha de frente contra a pandemia. Os idosos acima de 80 anos foram incluídos no público prioritário da primeira fase desde 29 de janeiro.

Jornal Midiamax