Cotidiano

MS está entre os 3 estados que mais desmataram o Cerrado nos últimos 36 anos

Dando lugar à agricultura, Mato Grosso do Sul teve uma aumento da atividade no bioma, que passou de 13,1 de hectares para 16,5 milhões em 36 anos

Lucas Mamédio Publicado em 15/09/2021, às 17h46

None

A área de agricultura no Cerrado cresceu 460% nos últimos 36 anos e já ocupa uma extensão de terras maior que o estado do Paraná. Eram 23 milhões de hectares destinados à atividade em 2020, enquanto em 1985 estavam ocupados 4 milhões de hectares, um crescimento de 5,6 vezes. Dando lugar à agricultura, Mato Grosso do Sul teve uma aumento da atividade no bioma, que passou de 13,1 de hectares para 16,5 milhões em 36 anos. Os dados são foram divulgados pelo instituto MapBiomas.

O Cerrado tem hoje 13,2% de seu território coberto pela agricultura, mas é a pastagem que representa o principal tipo de uso antrópico do bioma, ocupando 23,7%. De 1985 a 2020, a área de pastagem passou de 38 milhões para 47 milhões de ha, um aumento de quase 23%. Considerando toda a expansão agropecuária no Cerrado, com áreas de floresta plantada, agricultura, pastagem e áreas mistas entre essas duas últimas atividades, houve uma alta de 42,5% em relação a 1985.

Já os estados com maior aumento da agropecuária acumulado nos últimos 36 anos são Mato Grosso, que duplicou a área (de 6,5 para 13,3 milhões de ha), Goiás (de 17,1 para 21,1 milhões de ha) e Mato Grosso do Sul (de 13,1 para 16,5 milhões de ha).

De 1985 a 2020 o Cerrado perdeu 19,8% de sua vegetação nativa, ou 26,5 milhões de ha, que equivalem a uma área maior que a do Piauí. A expansão da agropecuária no bioma no mesmo período é quase complementar: foram 26,2 milhões de hectares destinados à atividade. Atualmente, a agropecuária ocupa 44,2% do Cerrado

Jornal Midiamax