Cotidiano

MS bate recorde de superlotação e chega a 104% de ocupação das UTIs Covid-19

Nesta sexta-feira (19), o Estado bateu o recorde de superlotação e chegou a 104,29% de ocupação das UTIs Covid-19.

Dândara Genelhú Publicado em 19/03/2021, às 15h29 - Atualizado às 19h03

Pacientes enfrentam superlotação nos leitos Covid-19. (Foto: Divulgação / Fiocruz)
Pacientes enfrentam superlotação nos leitos Covid-19. (Foto: Divulgação / Fiocruz) - Pacientes enfrentam superlotação nos leitos Covid-19. (Foto: Divulgação / Fiocruz)

Nos últimos dias Mato Grosso do Sul atingiu altos índices de lotação nos leitos de tratamento do coronavírus. Assim, nesta sexta-feira (19), o Estado bateu o recorde de superlotação e chegou a 104,29% de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) Covid-19. Com isso, 511 pacientes estão hospitalizados nestes leitos.

No entanto, MS possui apenas 490 UTIs registradas. Então, são 21 pessoas internadas além da capacidade das instituições hospitalares. Os dados são do Portal Mais Saúde, atualizados até às 14h50 desta sexta-feira (19).

Desde às 9h40 da manhã, 20 pessoas com quadros agravados da Covid-19 precisaram ser atendidas pelas UTIs de MS. O Estado enfrenta rápido avanço da doença. Então, com mais de 1,2 mil casos confirmados em 24h e 36 óbitos, o número de agravos dos casos ativos também cresce.

Já nos leitos clínicos, 68,46% estão com pacientes em estado grave da Covid-19. Ou seja, dos 1.113 leitos, 762 estão ocupados. Estes leitos são para casos de Srag (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Covid-19.

MS bate recorde de superlotação e chega a 104% de ocupação das UTIs Covid-19
Índice de ocupação de leitos UTI Covid-19 em MS. Foto: Mais Saúde.

Porém, de acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), são 968 pessoas hospitalizadas em estado grave da Covid-19 em MS. Na última segunda-feira (15), eram 35 UTIs disponíveis para novas internações. Muito mais rápido do que a abertura de leitos é a infecção e agravamento do quadro do coronavírus.

Ocupação de leitos gerais

Além da ocupação de leitos específicos para Covid-19, MS possui cenário alarmante para leitos gerais. Estas são vagas que atendem pacientes não Covid-19 do Estado. De acordo com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), a partir de 80% de lotação é considerada crítica a situação.

Assim, são 102,75% de superlotação nos leitos clínicos gerais de MS. O Estado possui 3.820 unidades disponíveis destas instalações, segundo o Painel. Entretanto, nesta sexta-feira (19), são 3.925 pacientes sendo atendidos. Ou seja, são 105 pessoas em estado grave sendo tratadas além da capacidade.

Com 91,07% de lotação nas UTIs gerais, MS tem 818 pessoas internadas. De acordo com o Mais Saúde, são 896 leitos existentes deste modelo. Então, restam 80 vagas para pacientes em estado grave que não sejam por causa da Covid-19.

Remédios acabando

Medicamentos que compõem o kit intubação estão com estoque baixo em MS. Eles são essenciais para o tratamento de pacientes em estado grave da Covid-19. De acordo com o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, eles podem acabar em 15 dias.

“Aqui estamos com falta. Segundo os estoques dos hospitais levantados [pela SES], dá para no máximo de 15 a 20 dias”, informou Resende.

Conforme o secretário, MS e demais estados da federação alertaram o Ministério da Saúde sobre a situação. “O governo federal fez a requisição administrativa dos estoques das indústrias nacionais e está fazendo tratativas”, explicou. O kit intubação é composto por medicamentos para anestesia, sedação e relaxamento muscular.

Jornal Midiamax