Cotidiano

Após tempestade, 150 moradores pediram ajuda para reparar estragos causados pelo vento em Campo Grande

Equipes ajudam com fornecimento de telhas e outros materiais

Mylena Rocha Publicado em 21/10/2021, às 11h40

None
Divulgação/PMCG

Os moradores que foram atingidos pelo temporal com ventania na última sexta-feira (15) continuam recebendo auxílio para reparos nas casas em Campo Grande. Nesta quinta-feira (21), os atendimentos serão voltados, principalmente, aos moradores da comunidade ‘Só por Deus’, no bairro Centro-Oeste. Ao todo, 150 moradores pediram ajuda para reparos depois dos estragos causados pela tempestade.

Os servidores da Amasf (Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários) seguem com o atendimento emergencial às famílias que tiveram suas casas destelhadas e mais um caminhão-baú foi disponibilizado para agilizar as entregas dos materiais. A comunidade ‘Só Por Deus’ receberá telhas de fibrocimento e demais itens necessários para reparos. Também haverá atendimento a moradores na Região do Anhanduizinho ao longo do dia. Na quarta (20), a comunidade Esperança recebeu mais 200 telhas, totalizando 34 famílias beneficiadas pelo auxílio emergencial.

Colaboradores da Subsecretaria de Articulação Social e Comunitário atuam em conjunto com a Amhasf, na missão de entregar mais 200 telhas hoje. Na “Só Por Deus”, os moradores aguardavam a chegada dos materiais, após contato pelo canal de atendimento. “A gente achou que fosse o fim do mundo. Pensamos que estava passando um furacão nas nossas cabeças”, relembra o garçom Anderson Carvalho Campos, 39 anos, integrante da comunidade.

A Central de Atendimento atendeu, até o momento, cerca de 150 solicitações de auxílio. Para receber o auxílio, a renda familiar não deve ultrapassar mais do que R$ 1.800 e a moradia deve ter até 70 metros quadrados. Os atendimentos volantes foram divididos entre as regiões urbanas da cidade. 

Conforme informações da Amhasf, o primeiro contato é feito para realizar as vistorias dos imóveis comprometidos pelas tempestades. Em seguida, cientes do quantitativo de materiais necessários, rapidamente as equipes já mobilizam os caminhões com os itens indicados para entrega imediata aos beneficiários.

“Frisamos que as pessoas devem ligar na nossa Central de Atendimento para que possamos realizar o cadastro e o devido controle das localidades afetadas. Nosso atendimento é bem simples e ágil. Vamos prosseguir com essa mobilização até que todas as famílias em situação de risco sejam atendidas”, reiterou a diretora-presidente da Amhasf, Maria Helena Bughi.

Para quem precisa do auxílio emergencial, basta entrar em contato com a Central de Atendimento da Amhasf: (67) 3314-3900.

Jornal Midiamax