Cotidiano

Mesmo sem agendamento ou filas, procura por testes de covid cai até 95% em Campo Grande

Com surgimento da variante Ômicron, testagem se tornou ainda mais importante

Mylena Rocha e Gabriel Neves Publicado em 01/12/2021, às 14h00

Testes podem ser feitos em pessoas com ou sem sintomas.
Testes podem ser feitos em pessoas com ou sem sintomas. - Marcos Ermínio/Midiamax

Com 68% da população com a imunização completa, o cenário nos postos de saúde e no centro de testagem é bastante diferente do que o registrado meses atrás em Campo Grande. A procura por testes tem sido cada vez menor e a queda chega a 95% em alguns locais. Para quem quer fazer um teste de covid, não há burocracia: sem filas, o paciente pode fazer o teste na hora e já sair do local com o resultado em mãos em até 20 minutos. Com o perigo da variante Ômicron, a testagem se mostra ainda mais importante. 

Quem chegou ao centro de testagem, no centro de Campo Grande, nesta manhã se surpreendeu com a rapidez. No local, são realizados testes de antígeno, os já conhecidos testes rápidos. Para ser atendido, não é preciso agendar: basta comparecer com o CPF (Cadastro de Pessoa Física) em mãos e pegar uma senha. 

No Centro de Testagem, em frente à Praça do Rádio, não havia fila e pacientes deixavam o local com resultado em mãos. (Foto: Marcos Ermínio)

A reportagem esteve no Centro de Testagem nesta manhã e havia cerca de 15 pessoas à espera do resultado. Camila Oliveira, de 28 anos, era uma delas. Ela tinha acabado de fazer o teste de covid, que deu negativo. 

[Colocar ALT]
Camila se surpreendeu com a agilidade. (Foto: Marcos Ermínio)

“Foi rápido, deu uns 20 minutos e nem precisei agendar. Cheguei, já fui atendida e chamada para fazer o teste. Estava bem vazio e o teste ficou pronto na hora”, comemorou. 

A responsável técnica do Centro, Lina Dias Ribeiro, explica que houve uma queda na procura por testes nos últimos meses. Para se ter uma ideia, atualmente a média de atendimento é de 170 testes por dia no local. Em outubro, a média era de 240 testes, ou seja, houve uma redução de 29% na procura. 

“Em outubro, foram 6.023 testes realizados. Em novembro ainda não fechamos [o levantamento], mas foram menos de 5 mil”, explica. 

A profissional reforça que todos podem fazer o teste sem agendamento, mesmo que estejam sem sintomas. Caso o exame dê negativo, o paciente é liberado. Caso dê positivo, é preciso colher alguns dados de contato, para que as equipes de saúde possam monitorar a pessoa infectada.

A reportagem esteve no posto de saúde do bairro Tiradentes, que também não tinha fila para testagem. No local, a queda na procura foi ainda mais expressiva, chegando a 95%. Um funcionário do local, que não quis se identificar, explicou que as manhãs no posto de saúde costumavam ser movimentadas, com cerca de 120 pessoas para testar. Agora, a situação é bem diferente. “Hoje fazemos uns cinco ou seis testes [pela manhã], no máximo”, explicou. 

Na USF Tiradentes, teste é feito em pessoas com sintomas. (Foto: Marcos Ermínio)

Assim como em todas as unidades de saúde, no Tiradentes o paciente não precisa agendar. Basta comparecer com o CPF em mãos e aguardar, em local aberto. O atendimento não demora, mas o resultado do teste sai dentro de dois dias. “A pessoa recebe um cartão com o site e o número de protocolo. É só acessar, que aparece o resultado”, relata. No caso do posto de saúde, o teste é voltado para pessoas sintomáticas. 

Com nova variante, testagem é essencial

O surgimento da nova variante do coronavírus, a Ômicron, tem causado preocupação em todo o mundo. A variante já foi identificada no Brasil e, portanto, fazer o teste de covid se tornou ainda mais importante. O que acontece é que mesmo quem não tem nenhum sintoma pode transmitir a covid, por isso ter o diagnóstico ajuda muito na prevenção, já que o infectado deverá ficar em isolamento, evitando contaminar outras pessoas.

De olho na variante Ômicron, Campo Grande voltará a instalar barreiras sanitárias no aeroporto e na rodoviária. O objetivo é testar contra covid e monitorar passageiros vindos, principalmente, da Europa e de São Paulo. O anúncio foi feito pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD). De acordo com o prefeito, ainda não foi definida a data nem detalhes operacionais de como irão funcionar essas barreiras, mas a implementação deve ocorrer em breve.

Jornal Midiamax