Mesmo com respiro nas ocupações de leitos em Mato Grosso do Sul, apenas 16 cidades de MS possuem UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para atender pacientes . Assim, 14 delas ainda registram lotação crítica dos leitos nesta quinta-feira (25).

Ou seja, 14 das 16 cidades com UTIs em MS possuem pelo menos 80% de ocupação dos leitos. A classificação de cenário crítico neste percentual é dada pela (Fundação Oswaldo Cruz).

Então, destes municípios, sete atendem com a capacidade dos leitos. No entanto, existem duas cidades que possuem superlotação nesta quinta-feira (25). Em , foi registrado 240% de ocupação das UTIs, sendo 12 pacientes atendidos. Porém, o município possui capacidade para atender apenas cinco infectados.

A outra cidade com superlotação é Campo Grande, que registra 102% de ocupação. São 321 pessoas sendo atendidas pelas instituições hospitalares, sendo que a capacidade é de 313. Ou seja, são oito pessoas atendidas além do limite do hospital.

Aquidauana e Chapadão do Sul são os únicos que não apresentam cenário crítico de ocupações. Entretanto, Chapadão não possui dados atualizados na plataforma da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Mais Saúde, utilizada nesta matéria. Então, Aquidauana é a cidade que registrou menos ocupação de UTIs Covid-19 no Estado.

Confira a ocupação das UTIs dos municípios de MS:
  • 100% das 5 vagas existentes
  • Aquidauana 62,5% dos 8 leitos existentes
  • 100%, das 5 vagas existentes
  • Campo Grande 102,56%, das 313 vagas existentes
  • Corumbá 100%, dos 17 leitos existentes
  • Costa Rica 100%, de 10 vagas existentes
  • Coxim 100%, de 5 vagas existentes
  • Dourados 87,88% de 66 leitos disponíveis
  • Jardim 83,33%, de 6 vagas existentes
  • Naviraí 80%, de 10 vagas existentes
  • Nova Andradina 112,50%, de 8 vagas existentes
  • Paranaíba 100%, de 10 vagas existentes
  • Ponta Porã 100%, de 30 vagas existentes
  • Sidrolândia 240%, de 5 vagas existentes
  • Três Lagoas 100%, de 39 vagas existentes