Cotidiano

Mato Grosso do Sul tem estado de emergência para cheia em dois pontos do Rio Miranda

Com o grande volume de chuvas dos últimos dias, rios de Mato Grosso do Sul registraram níveis acima do considerado normal, inclusive transbordando em alguns pontos e invadindo casas de ribeirinhos como em Nioaque e no Distrito Águas do Miranda, em Bonito. A régua localizada em Miranda marca o maior nível do rio de mesmo […]

Gabriel Maymone Publicado em 25/01/2021, às 10h49

Em Bonito, Rio Miranda encobriu vila de pescadores. (Foto: Reprodução)
Em Bonito, Rio Miranda encobriu vila de pescadores. (Foto: Reprodução) - Em Bonito, Rio Miranda encobriu vila de pescadores. (Foto: Reprodução)

Com o grande volume de chuvas dos últimos dias, rios de Mato Grosso do Sul registraram níveis acima do considerado normal, inclusive transbordando em alguns pontos e invadindo casas de ribeirinhos como em Nioaque e no Distrito Águas do Miranda, em Bonito.

A régua localizada em Miranda marca o maior nível do rio de mesmo nome este ano: 7,26 metros, sendo que o normal é de 6 m, com alerta a partir dos 7 m.

O outro ponto do rio que está em estado de emergência é na estrada MT-738, no encontro do Miranda com o Rio Nioaque, que mediu 7,76 m. O número é menor que o registrado no domingo (24), de 9,13 m, mas ainda continua acima dos 6,5 m considerados o limite para a cheia.

Outros municípios que estão em alerta para cheias são: Aquidauana, Anastácio, Miranda e Coxim, que também está em alerta, com o Rio Taquari a 4,2 metros.

Rios cheios em MS

A cidade de Nioaque, a 187 km de Campo Grande, foi a primeira a declarar situação de emergência por conta do volume de chuvas. O tempo chuvoso não tem dado trégua nestes últimos dias, causando enxurradas, alagamentos e inundações na cidade. Famílias foram desalojadas e maioria procurou abrigo em casa de parentes.

Ainda segundo a Defesa Civil, cidades como Anastácio, Aquidauana, Bonito, Coxim e Miranda estão em observação. Diante das condições climáticas já registradas e das estimadas para os próximos dias, a população que reside em municípios com históricos de alagamentos precisa ficar atenta.

Jornal Midiamax