Cotidiano

Lojas fechadas no Dia de Finados causa incômodo em entidades representativas

Câmara de Dirigentes Lojistas disse em nota que Campo Grande "ainda esbarra em proibições antigas"

Lucas Mamédio Publicado em 27/10/2021, às 15h55

None
(Foto: Arquivo/Midiamax)

O fechamento do comércio no Dia de Finados em Campo Grande tem deixado algumas entidades representativas descontentes. A CDL (Câmara de Dirigentes de Lojistas) emitiu uma nota lamentando o fechamento. Segundo a entidade, o varejo da Capital ainda "esbarra em proibições antigas e que não estão de acordo com a realidade atual e por isso não poderá abrir no feriado do dia 2 de novembro", diz trecho da nota.

A CDL defende a abertura das lojas tanto de rua, quanto dos shoppings, com o pagamento das obrigações trabalhistas vigentes, durante os feriados. “Após a pandemia, além do temporal que colocou a cidade de cabeça pra baixo, o varejo ficou fragilizado, precisando de apoio para se recuperar, mas acabou esbarrando em amarras que proíbem os lojistas de abrir as portas”, pontuou o presidente da entidade, Adelaido Vila.

Lei que obriga fechamento 

Conforme o SECCG (Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande), lojas fecharão as portas e funcionários terão dia de descanso.

Em nota, o sindicato explicou que essa condição está estabelecida na Lei Complementar Número 81, de 3 de janeiro de 2006, que diz: “É proibida a concessão de licença especial, de que trata a alínea “a” deste artigo, nos seguintes feriados: I - Ano Novo; II - Sexta-feira Santa; III – 1º de Maio; IV – Finados § 1º inclui nesta proibição as Lojas de Departamento §2º, inclui, também as lojas de comércio varejista situadas no interior dos shoppings-centers”.

Jornal Midiamax