Cotidiano

LISTA: Procon-MS divulga sites com mais reclamações para se proteger na Black Friday

Entre as principais reclamações estão a não entrega de produtos ou vendas enganosas

Gabriel Neves Publicado em 18/11/2021, às 08h10 - Atualizado às 08h11

Consumidores devem tomar diversos cuidados ao realizarem compras online
Consumidores devem tomar diversos cuidados ao realizarem compras online - (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Uma das datas comerciais mais esperadas do ano, a Black Friday ocorre no próximo dia 26 de setembro, última sexta-feira do mês. Cada dia mais próxima, a data é esperada pelos consumidores que desejam garantir um bom desconto nos produtos ‘namorados’ ao longo do ano.

Apesar da pesquisa na rua, grande parte das pessoas preferem adquirir ir os descontos do conforto de sua casa. De acordo com o superintendente do Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor), as compras online representam 62% das transações realizadas na data.

Para o que vão se jogar nas compras online, o Procon-MS publicou uma lista dos sites com maior número de reclamações entre os consumidores de Mato Grosso do Sul, além das principais insatisfações dos clientes.

Encabeçando a lista está o site ‘Decolar’. A empresa que trabalha com a venda de passagens áreas possui 379 reclamações feitas por clientes sul-mato-grossenses, seguido pelo portal de transações ‘Mercado Pago’. Entre as principais reclamações estão a não entrega de produtos ou produtos com vícios.

Confira abaixo os sites e as principais reclamações apontadas pelos consumidores entre 2020 e 2021, em Mato Grosso do Sul.

De olho em fraudes

Em Mato Grosso do Sul, o Procon-MS já está mobilizado em garantir um período de compras tranquilas e sem dores de cabeça para os consumidores. De acordo com o superintendente do órgão, Marcelo Salomão, as equipes já seguem realizando pesquisa de preços em lojas online e físicas para impedir que o consumidor seja prejudicado durante a Black Friday.

O superintendente também orienta que os consumidores olhem o preço até o final da compra, para não ser surpreendido com um frete absurdo ou compra casada, com seguro ou garantia estendida.

Sites para monitoramento

Para quem não fez as pesquisas de preços com antecedência e deseja adquirir um produto com desconto na Black Friday, existem alguns sites que apontam a variação dos preços dos produtos ao longo dos últimos meses, sendo possível saber se ocorreu algum aumento e então fugir da ‘matade do dobro’.

Tanto o site Zoom como o Já Cotei apresentam a variação dos valores entra os sites que comercializam o produto desejado, como também apontam a variação dos valores nos últimos meses ou semanas. Ajudando os consumidores que não realizaram esse levantamento.

Variação de preço apresentado em um produto no site 'Já Cotei'. (Foto: Reprodução)

Checklist do consumidor

Confira a lista de dicas publicadas pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) para os consumidores durante a Black Friday:

  • Ao utilizar sites de busca, verifique cuidadosamente o endereço (URL) para garantir que se trata do site que deseja acessar. Fraudadores utilizam “links patrocinados” para ganhar visibilidade nos resultados de buscas.
  • Dê preferência a sites conhecidos. Verifique a reputação de sites não conhecidos, lendo comentários de clientes que já utilizaram as plataformas.
  • Não clique em links desconhecidos. Desconfie das promoções cujos preços sejam muito menores que o valor real do produto, pois criminosos se utilizam da empolgação dos consumidores em fazer um grande negócio para coletar informações e aplicar golpes que geram grandes prejuízos.
  • Não preencha formulários com dados pessoais para ter acesso às promoções da Black Friday.
  • Dê preferência para usar os cartões virtuais para fazer suas compras online.
  • Sempre confira o valor na maquininha de cartão antes de digitar a sua senha.
  • Se for pagar a compra com boleto, confira quem é a empresa beneficiária que aparece no momento do pagamento do boleto, no aplicativo ou site do banco. Se o nome for diferente da marca ou empresa, onde a compra foi feita, a transação não deve ser concluída.
  • Após fazer uma compra de maneira presencial, sempre confira se o cartão devolvido é realmente o seu cartão.
  • Nunca use um computador público ou de um estranho para efetuar compras e digitar seus dados bancários.
  • Sempre use em seu computador ou smartphone, softwares e aplicativos originais e mantenham sempre um antivírus atualizado.

Jornal Midiamax