Cotidiano

Laudo sobre causas de incêndio em tapeçaria deve ficar pronto em 10 dias

Uma ‘brincadeira’ teria causado o incêndio que destruiu o prédio em Campo Grande e matou jovem

Thatiana Melo e Mariane Chianezi Publicado em 24/11/2021, às 09h25

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

O laudo sobre as causas do incêndio que destruiu uma tapeçaria, nessa terça-feira (23), em Campo Grande, deve ficar pronto em 10 dias, segundo o delegado Guilherme Rocha da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro. Foram mais de seis horas de combate as chamas.

Guilherme disse que o corpo de Lucas Correa Queiroz, de 21 anos, encontrado no mezanino do prédio passou por perícia preliminar ainda no local, sendo liberado. O prédio passa por perícia ainda nesta manhã de quarta-feira (24). O delegado não quis comentar sobre a possível ‘brincadeira’ que acabou causando o incêndio com morte.

Segundo o delegado tudo será investigado e o laudo deve ficar pronto em 10 dias. De acordo com o major dos Bombeiros, a tapeçaria não tinha certificado de vistoria, por isso foi notificada e multada. Ainda segundo os Bombeiros, se o local tivesse o certificado, teria facilitado a saída de Lucas. A tapeçaria só tinha uma entrada e saída.

O prejuízo estimado da tapeçaria é de cerca de R$ 2 milhões. A multa aplicada é de 200 Uferms, o que equivale a R$ 8.512. Na manhã desta quarta (24), pessoas que passam pelo local do incêndio estão levando materiais que sobraram como tapetes e fios de cobre.

O incêndio

O fogo na tapeçaria teve início por volta das 16h10 dessa terça (23), próximo à antiga rodoviária, no Cruzamento da Rua Barão do Rio Branco com a Rua Alan Kardec, no Centro de Campo Grande. Foram utilizados mais de 60 mil litros de água para controlar as chamas. Após mais de 6 horas de trabalhos, os bombeiros encontraram o corpo de Lucas já sem vida.

O corpo de Lucas foi encontrado por volta das 23 horas em um mezanino da tapeçaria. O fogo só foi controlado por volta das 20 horas de terça (23).

‘Brincadeira’ que terminou em morte

Informações da comunicação do Corpo de Bombeiros indicam que uma brincadeira com tinta spray e um isqueiro deu início ao fogo. Lucas, então teria sido atingido pelo fogo e logo depois entrou para o interior do prédio com o corpo em chamas. Depois disto, ele não foi mais visto.

Amigos de Lucas relataram que ele foi até o andar superior, onde há um mezanino. A maior dificuldade dos bombeiros durante o incêndio era o acesso à parte térrea para o combate, devido à grande quantidade de materiais inflamáveis. Todo o material foi retirado com uma retroescavadeira. Por causa deste incêndio de grandes proporções, muitos bombeiros que estavam de folga, foram ao local para ajudar.

Jornal Midiamax