Cotidiano

Lançado nesta terça, Grupo de Intervenção da Guarda atuará com foco em aglomerações

Grupo foi treinado pelo Bope, no Rio de Janeiro

Gabriel Neves Publicado em 28/09/2021, às 11h08

Agentes da Guarda Civil Metropolitana durante inauguração da GPI
Agentes da Guarda Civil Metropolitana durante inauguração da GPI - (Foto: Henrique Arakaki/Midiamax)

Moradores que vivem perto do Parque Ayrton Senna podem ter se assustado com barulhos de bombas e tiros vindos de dentro do espaço, na manhã desta terça-feira (28). O que parecia um confronto policial era, na realidade, a inauguração da GPI (Gerência de Pronta Intervenção), realizada pela GCM (Guarda Civil Metropolitana) de Campo Grande.

O parque é o local escolhido para a instalação da unidade, formada por 32 Guardas Civis Metropolitanos formados no curso Atac (Aperfeiçoamento Tático e Ações de Choque), com fases no Batalhão de Polícia de Choque e no Bope (Batalhão de Operações Especiais) do Rio de Janeiro.

De acordo com a GCM, o grupo tem como objetivo coordenar e comandar os grupos especiais, como: grupos de operações com cães, grupos de pronta intervenção, dentre outros; apoiar outros órgãos de segurança pública e executar, controlar e avaliar as operações especiais desencadeadas pela Superintendência do Comando da Guarda Civil.

Presente no evento, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), parabenizou os agentes municipais presentes e falou sobre a importância da unidade para desenvolver as atividades e ações de segurança desenvolvidas na Capital.

[Colocar ALT]
Foto: Henrique Arakaki, Midiamax

“Quero agradecer a Guarda, valorosos, guerreiros, que preservam a ordem e zelam pelo patrimônio”, disse Marquinhos. O secretário da Sesdes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social), Valério Azambuja, também aproveitou o momento afirmando que a corporação deverá continuar evoluindo.

“Nós avançamos, mas ainda precisamos melhorar e evoluir muito. Como tudo na vida, é uma evolução constante”, disse o secretário.

Investimentos

A GPI recebeu um investimento de R$ 424.535,10 entre equipamentos, viaturas e mobiliário. Foram R$ 118.318,00 em EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), somados a R$ 120.518,36 utilizados para aquisição de espargidores e munições para arma de eletro.

Além de R$ 15.698,74 investidos em mobiliário e o recebimento de duas viaturas operacionais enviadas pela Polícia Federal avaliadas em R$ 170.000,00.

Na prática

De acordo com o chefe da divisão de curso da GCM, Jair Viana de Oliveira, o grupo tem como principal objetivo utilizar os recursos e treinamentos realizados para intervir em situações onde “os recursos de negociação realizados pela Guarda tenham se esgotado, principalmente em locais de aglomeração e grandes eventos”.

Ainda no local foi realizada a apresentação da técnica “Ação de Choque Ligeiro”, que visa desobstruir vias ocupadas ilegalmente e dispersar aglomerações. Além disso, cinco agentes municipais foram homenageados.

Jornal Midiamax