Cotidiano

Após reação em Campo Grande, Reinaldo recua e atualiza critérios do Prosseguir que 'pioravam' pandemia

Último decreto deixava 43 cidades na bandeira cinza e agora somente 4 estão na classificação

Gabriel Maymone Publicado em 23/06/2021, às 10h53

Campo Grande volta a ser considerada bandeira vermelha pelo governo de MS
Campo Grande volta a ser considerada bandeira vermelha pelo governo de MS - Marcos Ermínio / Midiamax

Sem a obrigatoriedade dos municípios em seguir as recomendações do Prosseguir, o Governo de Mato Grosso do Sul anunciou nesta quarta-feira (23) as novas classificações de risco para covid. Agora, apenas 4 cidades estão em bandeira cinza, porém, não precisam decretar o fechamento de atividades consideradas não essenciais.

A última atualização, no dia 10 de junho, havia colocado Campo Grande e outros 42 municípios na bandeira cinza em caráter temporário e excepcional e impôs a obrigação do cumprimento das medidas deliberadas pelo Prosseguir para cada faixa de risco. No caso, esses locais com risco extremo deveriam permitir o funcionamento somente de atividades essenciais.

Após a decisão do governo do Estado, vários municípios como Campo Grande, Sidrolândia, Três Lagoas e Ponta Porã decidiram não seguir o decreto estadual.

Pelo novo mapa, Campo Grande volta para a bandeira vermelha pelo governo estadual - mas já estava nessa classificação a partir de decreto municipal. Dourados, apesar do Lockdown no início do mês, também está na bandeira vermelha, por exemplo.

Estão como bandeira cinza (risco extremo para covid) os municípios de Camapuã, Água Clara, Aparecida do Taboado e Japorã - que é o município mais avançado na vacinação com mais de 50% da população com 1ª dose recebida.

Mudanças

Conforme explicado pela adjunta da SES (Secretaria Estadual de Saúde), Christinne Maymone, para esse novo mapa, foram estabelecidas alterações no Prosseguir.

A primeira mudança foi a inculusão de três membros no comitê: SED (Secretaria Estadual de Educação), Seinfra (Secretaria Estadual de Infraestrutura) e Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul).

Além disso, houve mudança nos critérios de avaliação, que agora são 6 indicadores. Veja todos os detalhes abaixo:

Jornal Midiamax