Cotidiano

Goteira e falta de papel higiênico: pais denunciam banheiro precário em escola estadual de Campo Grande

Alunos se organizam para fazer vaquinha e comprar material de higiene; orçamento da SED é de R$ 2 bilhões

Gabriel Maymone Publicado em 21/11/2021, às 09h07

Banheiro em situação precária é maior preocupação de pais de alunos da Escola Estadual Rui Barbosa
Banheiro em situação precária é maior preocupação de pais de alunos da Escola Estadual Rui Barbosa - Leitor Midiamax

Professor pagando do próprio bolso para imprimir atividades, alunos fazendo vaquinha para comprar papel higiênico e goteira no banheiro são algumas das situações denunciadas ao Jornal Midiamax por pais de alunos da escola estadual Rui Barbosa, localizada no Bairro Santo Antônio, em Campo Grande. 

Pais, que preferiram manter a identidade preservada, relataram uma série de situações que colocam a integridade dos alunos em risco. "Meu filho relata que todos os dias tem adolescente bebendo e fumando no banheiro", conta a mãe.

Ainda conforme a denunciante, é justamente no banheiro um dos maiores problemas da escola. "Não tem papel higiênico e nem trava na porta do vaso. Isso é humilhante", disse, relatando que a filha leva papel na mochila, mas que os alunos estavam se organizando para fazer vaquinha para comprar o material de higiene.

Pai de aluno do 8º ano — que terá a identidade preservada — relatou que o filho quase teve problemas ao usar o banheiro. "Meu filho estava no banheiro no momento em que vários adolescentes entraram para fumar e beber. Eles ficam segurando a porta para ninguém entrar enquanto fazem isso. Por sorte meu filho conseguiu sair a tempo", contou à reportagem.

Vídeos obtidos pela reportagem mostram a situação dos banheiros. Com as chuvas recentes, o local sofre com vazamentos. Veja abaixo:

Mais reclamações...

A situação não para por aí. As reclamações de vários pais são de que a cada dia de aula é uma surpresa. "Esses dias minha filha (2º ano) disse que um rapaz que nem é aluno da escola entrou e estava entrando nas salas. É inadmissível qualquer um poder entrar num local com tantos jovens", reclamou.

Também há outras denúncias como casos em que os professores confirmaram aos alunos que tiveram que pagar com o próprio dinheiro impressões de atividades, pois afirmaram que não havia papel na escola.


Banheiro da escola estadual Rui Barbosa fica molhado em dias de chuva, não tem papel higiênico, nem trava nas portas - Foto: Leitor Midiamax

Verba bilionária

Conforme o Portal da Transparência do Governo de MS, a SED (Secretaria de Estado de Educação) tem disponível mais de R$ 2 bilhões para custear todo o sistema de educação do Estado.

Desse total, somente entre equipamentos e materiais de consumo ou para distribuição foram mais de R$ 49 milhões já pagos neste ano. 

Outro lado

Em nota enviada nesta segunda-feira (22), a SED negou que haja falta de materiais de higiene como relatam os pais e alunos e informou que equipe da Coges (Coordenadoria de Gestão Escolar) visitou a unidade, constatando que também não há falta de materiais para impressão como denunciou o professor.

A SED atribuiu o problema a invasão na escola. "Os problemas ocorridos foram de vandalismo em função da entrada de pessoas não identificadas nas dependências da escola durante o período vespertino. Para os devidos encaminhamentos, a Coges trabalha com orientações sobre as ações que devem ser tomadas com o objetivo de coibir esse tipo de situação".

Por fim, a pasta informa que a escola passou por diversas reformas recentes. "Ao todo, desde o início da atual gestão, a escola já recebeu R$ 765 mil em investimentos que contemplaram serviços de adequação da cozinha, reforma do anfiteatro, reforma e adaptação dos banheiros, reforma da passarela e das calçadas".

Quer denunciar a situação em alguma escola pública de MS? Fale com jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

*Atualizada às 9h46 de segunda-feira (22) para acréscimo de posicionamento da SED.

Jornal Midiamax