Cotidiano

Funcionários cruzam os braços por uma hora em Campo Grande contra demissões de bancos

Com a pandemia, sindicado diz que agências demitiram 30 na Capital, atrasando atendimentos

Gabriel Neves Publicado em 23/11/2021, às 10h49 - Atualizado às 10h50

Funcionários cruzam os braços e atrasam início dos atendimentos em agência da Capital
Funcionários cruzam os braços e atrasam início dos atendimentos em agência da Capital - (Foto: Reprodução/Fala Povo)

Em um ato nacional, funcionários do Banco Bradesco realizaram uma paralisação nos trabalhos da agência central, localizada na Rua 13 de Julho, em Campo Grande. O protesto contra recentes demissões deverá atrasar o início dos atendimentos no local em uma hora.

De acordo com a presidente do Sindicárionet (Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região), Neide Maria Rodrigues, o movimento foi organizado por conta das recentes demissões realizadas pelo banco em todo o Brasil, “em Campo Grande foram 30 demissões somente neste ano”.

Não somente na Capital de Mato Grosso do Sul, o movimento também ocorre de forma simultânea em diversos Estados do país. Segundo Neide Rodrigues, é reivindicado explicações para os oito mil desligamentos registrados em todo o território nacional.

“Nosso objetivo é para que os bancos receberam a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), principalmente o Bradesco e resolva a situação”, comentou Neide. “Existe um déficit de funcionários, por isso ocorre essa demora nos atendimentos”, completou.

Segundo a presidente do Sindicárionet, a demora relata por diversos clientes ao serem atendidos é causada por essa falta de funcionários somada com a não contratação de novos profissionais. Outro pedido do sindicato é a padronização nos horários de atendimentos das agências.

“O Banco Central havia liberado os horários reduzidos, mas o momento da pandemia, já controlada, não justifica que a medida seja mantida”, explicou Neide ao exemplificar que muitas pessoas acabam perdendo o atendimento por conta dessa liberdade nos horários, “alguns fecham às 13:00 outros às 15:00”.

O Sindicárionet, por meio de nota, afirma que o Banco Bradesco lucrou R$ 19,6 bilhões nos nove primeiros meses de 2021, crescimento de 54,9% em relação ao mesmo período de 2020. Números que não justificam os desligamentos.

Jornal Midiamax