Cotidiano

Fronteira de Corumbá com a Bolívia é fechada por grevistas após crise política

Apenas pedestres e pessoas com casos de urgência podem passar pelo local

Mylena Rocha Publicado em 11/10/2021, às 11h15

Fronteira deve ficar fechada por 24 horas.
Fronteira deve ficar fechada por 24 horas. - Divulgação/Diário Corumbaense

A fronteira do Brasil com a Bolívia em Corumbá, a 429 km de Campo Grande, amanheceu fechada nesta segunda-feira (11). No local, os veículos não podem trafegar e só atravessam os pedestres. A interdição é motivada por protestos, que têm acontecido em quase todo o território da Bolívia.

A greve foi convocada por diversos setores, como um repúdio ao projeto de lei sobre enriquecimento ilícito e financiamento do terrorismo, entre outras medidas promovidas pelo governo, segundo o jornal El Deber.

O presidente do Comitê Cívico de Arroyo Concepción, Antonio Chávez Mercado, disse em entrevista ao jornal Diário Corumbaense que a greve deve durar 24 horas. Apenas a passagem a pé é permitida na linha internacional.

“Também vamos deixar passar casos de urgência e emergência, como pessoas que vão fazer hemodiálise em Corumbá ou que precisem de atendimento médico. Exigimos que o atual governo suspenda esse pacote de lei e pare com a perseguição política”.

Há outros pontos de bloqueio além da fronteira com Corumbá. Conforme o jornal El Deber, há vários pontos de bloqueio em Santa Cruz de La Sierra, como a Via Dupla de La Guardia, o bairro do Cambódromo e a Avenida Busch.

Jornal Midiamax