Cotidiano

Frentistas de MS comemoram veto a projeto de autoatendimento em postos

A medida poderia deixar mais de 5 mil trabalhadores sem emprego

Mariane Chianezi Publicado em 26/11/2021, às 16h04

None
Leonardo de França, Midiamax

Após veto do projeto de implantação do autoatendimento em postos de combustíveis no país, os frentistas de Mato Grosso do Sul comemoraram. A medida poderia deixar mais de 5 mil trabalhadores sem emprego.

A proposta era do deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP), que queria implantar o autosserviço nos postos de combustíveis, dispensando o trabalho de frentistas. A Emenda 18, a Medida Provisória 1.063, de autoria do parlamentar foi rejeitada em plenário.

Em Mato Grosso do Sul, o Sinpospetro/MS (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do MS), foi uma das entidades que lutou para que essa famigerada emenda fosse derrotada pela Câmara Federal, o que acabou acontecendo na tarde de ontem (25).

De acordo com informações de José Hélio da Silva, presidente do Sinpospetro/MS, a MP 1.063, que trata da revenda de combustíveis, foi aprovada. Mas o relatório do deputado Augusto Coutinho (Solidariedade-PE) expurgou do texto a Emenda que impunha o 'self-service'. O relatório foi aprovado sem reparos.

“As articulações e pressão política que fizemos em todos os estados, junto às bancadas federais acabaram dando certo. Aqui em Mato Grosso do Sul, enviamos ofícios a todos os deputados da nossa bancada e inclusive para os senadores, para que ajudassem na não aprovação da emenda 18”, comentou José Hélio da Silva, que agora agradece o apoio dos parlamentares do Estado que não só não aprovaram a medida que acabaria com mais de 5 mil empregos no Estado, como também fizeram lobby junto a outros parlamentares para que fizessem o mesmo.

 Nas últimas semanas, os dirigentes da Fenepospetro e de sindicatos de todo país  viveram entre suas bases em Brasília, onde dialogaram permanentemente com os parlamentares.

Jornal Midiamax