Cotidiano

Família contesta Hospital por morte de paciente por coronavírus em Campo Grande

A morte de um paciente no Hospital Regional de Campo Grande virou motivo de indignação neste sábado (30) e levou a um Boletim de Ocorrência

Carlos Yukio Publicado em 30/01/2021, às 19h52 - Atualizado às 20h14

Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande | Foto: Edemir Rodrigues | Subcom
Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande | Foto: Edemir Rodrigues | Subcom - Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande | Foto: Edemir Rodrigues | Subcom

A morte de um homem de 62 anos no Hospital Regional de Campo Grande virou motivo de indignação neste sábado (30). Segundo a família, o paciente estava internado há 30 dias no Hospital e deu entrada na unidade por causa de uma trombose. Na manhã deste sábado (30), a esposa e filha do homem foram informadas da morte do paciente e que não poderiam fazer a retirada do corpo devido ao atestado de óbito constar positivo para o coronavírus.

Segundo a esposa do paciente conta ao Jornal Midiamax, a médica responsável pelo paciente informou à família que o quadro inicial havia evoluído de uma trombose para pneumonia e arritmia cardíaca. As familiares frisam que o homem não estava internado em uma ala destinada a paciente com coronavírus e que chegaram a visitá-lo presencialmente, utilizando roupas especiais, com autorização dos funcionários do Hospital nesta sexta-feira (29).

Família contesta Hospital por morte de paciente por coronavírus em Campo Grande
Declaração de óbito do paciente mostra causa da morte como infecção por coronavírus com 30 dias entre o início da doença e o falecimento (Midiamax 30, JornalMidiamax)

A mulher frisa que em nenhum momento desde o início da internação na unidade foi informada sobre o diagnóstico para o coronavírus, o que causou estranheza. A família só soube da notícia quando acionaram a Pax para retirar o corpo do paciente no Hospital e não obtiveram sucesso. Em seguida, abriram um Boletim de Ocorrência na Depac Centro e pedem uma perícia no corpo.

Em nota, o Hospital Regional de Campo Grande respondeu que: “Informamos que todas as medidas pertinentes a denúncia serão tomadas, como foi feito BO responderemos a autoridade judicial. Caso a família tenha prestado queixa na ouvidoria, também responderemos”.

Jornal Midiamax