Cotidiano

Explosão acarretou multa de R$ 50 mil para siderúrgica em Aquidauana

PMA diz que incêndio atingiu depósito por descuido dos funcionários

Fábio Oruê Publicado em 28/04/2021, às 15h06

Incêndio causou a dispersão de resíduos tóxicos no ar
Incêndio causou a dispersão de resíduos tóxicos no ar - Foto: PMA/ Divulgação

Siderúrgica Simasul, em Aquidauana, foi multa em R$ 50 mil pela PMA (Polícia Militar Ambiental) após a 'mini explosão' jogar fuligem e fumaça na atmosfera, na terça-feira (26). A empresa também deverá passar por um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para reduzir a emissão de resíduos.

Segundo a PMA, os policiais receberam denúncias sobre um incêndio na siderúrgica e ao chegar no local verificou que a empresa já havia controlado o fogo, que atingia um depósito fechado de descarregamento de carvão. Muita água foi lançada para apagar as chamas e, quando esse carvão molhado chegou ao forno, gerou excesso de fumaça e fuligem que foram dispersas na atmosfera.

A equipe percebeu que o problema ocorreu por descuido dos funcionários que descarregavam o minério de um caminhão, que não perceberam que alguns pedaços ainda continham fogo e, ao cair junto aos demais no depósito, gerou um grande incêndio.

Nenhum morador reclamou à PMA, de que a fumaça e fuligem tenham chegado a atingir suas residências. De qualquer forma, a empresa foi autuada administrativamente e multada.

Recentemente, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito para apurar a denúncia de moradores, de que a indústria não possuia filtro e, assim, lançava resíduos cancerígenos no ar.

Conforme a promotora de Justiça, Angélica de Andrade Arruda, ação civil pública já garantiu a instalação dos equipamentos de proteção, no entanto, ainda há problema em relação à emissão de resíduos durante o processo de fabricação do ferro gusa. 

Jornal Midiamax