Cotidiano

Expedição termina com mais de 600 atendimentos médicos à população do Pantanal

Projeto é uma iniciativa do Instituto Alma Pantaneira e leva assistência médica às comunidades que vivem no Pantanal

Lucas Mamédio Publicado em 30/11/2021, às 16h46

None
(Foto: Divulgação)

A expedição Alma Pantaneira, que percorreu mais de de mil quilômetros pelo Pantanal nos estados do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, encerrou nesta semana mais uma edição com. Desde o último dia 22, médicos, dentistas e médicos veterinários de todo o Brasil estiveram em diferentes fazendas nessa região para levar assistência médica às comunidades. O projeto é uma iniciativa do Instituto Alma Pantaneira, com empresas brasileiras. A iniciativa também conta com o apoio de entidades civis e governamentais.

A expedição teve início no dia 22 e encerrou com mais de 600 atendimentos, entre assistência médica, odontológica, veterinária e sanitária nos lugares mais afastados e de difícil acesso. Após percorrer lagoas e vazantes do bioma, a equipe fixava acampamento em pequenas comunidades locais e montava toda a estrutura necessária para os atendimentos. Alguns profissionais chegaram a fazer mais de 40 atendimentos por dia. Eles levaram o próprio equipamento de Raio-X, assim como a cadeira de dentista, os aparelhos de exames e todo o aparato necessário para os mais variados tipos de procedimentos.

O perfil das pessoas assistidas pela expedição foi de idades variadas e comumente enfrentam diversos problemas de saúde devido à dificuldade de locomoção até grandes centros urbanos, falta de informação e tratamentos básicos. Isso porque essas pessoas podem demorar até 3 dias para chegar em uma cidade e conseguir o acesso ao serviço oferecido na expedição. 

Além dos atendimentos prestados pelos profissionais, o grupo também distribuiu mais de três toneladas de material de higiene pessoal, material escolar, brinquedos, roupas, alimentos, entre outros itens. Além disso, foram realizados plantios de um milhão de sementes de árvores nativas, escolhidas com embasamento técnico para não prejudicar a região.

Jornal Midiamax