Cotidiano

Expedição irá levar atendimento médico gratuito para comunidades isoladas do Pantanal

Médicos de diversas especialidades pretendem fazer mais de 3 mil atendimentos

Fábio Oruê Publicado em 20/10/2021, às 16h52

Expedição está
Expedição está - Foto: Gabriel Gabino/ Divulgação

A expedição Alma Pantaneira 2021 pretende percorrer mais 1 mil quilômetros e fazer cerca de 3 mil atendimentos em pessoas que moram em comunidades afastadas e de difícil acesso no Pantanal, em novembro, levando assistência médica, odontológica, veterinária e sanitária. 

O lançamento será nesta sexta-feira (22), em Campo Grande, mas a saída da expedição está marcada para o dia 17 de novembro, com previsão de retorno previsto para o dia 29 do mesmo mês.

Além dos atendimentos que serão prestados pelos profissionais, o grupo também irá distribuir mais de três toneladas de material de higiene pessoal, material escolar, brinquedos, roupas, alimentos, entre outros itens.

Também será realizado o plantio de um milhão de sementes de árvores nativas, escolhidas com embasamento técnico para não prejudicar a região, que serão soltos por meio de balões biodegradáveis inflados com gás e soltos durante o percurso.

“Por dificuldade de acesso ou por morarem muito no interior do Pantanal, os moradores da região dificilmente conseguem atendimento de saúde, nem mesmo quando realmente precisam, sem preocupação com a prevenção de doenças. Tratamos geralmente de pessoas hipertensas, com contusões, artroses, artrites, problemas de visão e dentes, que com o tempo, comprometem muito a saúde das pessoas”, comenta o médico ortopedista Luiz Mikimba, integrante da Expedição.

A expedição, que nasceu em 2012, é encabeçada pela organização independente Médicos do Pantanal (MDP), que espera neste ano realizar cerca de três mil atendimentos e procedimentos médicos e odontológicos.

Veterinários também integram a equipe e vão tratar de animais domésticos de pequeno porte realizando a assistência necessária. Os profissionais da saúde são de diversos estados do Brasil que voluntariamente participam do projeto. A Marinha do Brasil também integra a expedição, cedendo dois caminhões que ajudam no transporte do material e militares que apoiam em toda a parte logística.

Jornal Midiamax