Cotidiano

Exército diz desconhecer sumiço de peças do acervo da FEB após revitalização de museu

Levantamento mostrou que vários artigos sumiram após mudança no Mello e Cáceres

Fábio Oruê Publicado em 25/10/2021, às 15h14

Itens doados por pracinhas e familiares são considerados objetos raros
Itens doados por pracinhas e familiares são considerados objetos raros - Foto: Reprodução/ Jornalismo de Guerra

O CMO (Comando Militar do Oeste), que administra os museus do Exército em Mato Grosso do Sul, diz não saber sobre o sumiço de mais de 65 peças do acervo de materiais da FEB (Força Expedicionária Brasileira), após a restauração do espaço cultural Mello e Cáceres em 2016. 

Em nota enviada ao Jornal Midiamax, o Comando da 9ª RM (Região Militar) diz que "desconhece o 'sumiço' de parte do acervo da FEB". Reportagem mostrou que alguns itens que estavam expostos teriam sumido quando foram retirados do prédio, segundo levantamento feito pelo site Jornalismo de Guerra. Conforme especializado, o acervo teria saído de Campo Grande e realocado para a sala de exposição no 9º Batalhão de Engenharia de Combate, em Aquidauana.

Isto aconteceu depois que o Sesc Cultura Mello e Cáceres começou a funcionar no prédio histórico na Avenida Afonso Pena e a exposição se limitou a informações do Exército e uniformes militares.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, sobre os veteranos de guerra que lutaram na 2ª Guerra Mundial, somente uma réplica do uniforme usado pelos militares e informações em um painel sobre o combate está exposto no local, onde funcionou o quartel da 9ª RM (Região Militar), instalado em 1922.

Uma parceria foi firmada em 2016 entre a diretoria regional do Sesc/MS (Serviço Social do Comércio) e o CMO da 9ª RM para revitalização do prédio e sua transformação em espaço cultural. Com isso, grande parte do acervo dos pracinhas foi retirada do prédio.

Sumiço

Após a revitalização, o site especializado cruzou imagens de objetos que haviam sido fotografados em 2015 quando eles ainda estavam no espaço Mello e Cáceres com uma lista obtida pela reportagem com os itens que foram para o batalhão em Aquidauana.

Mais de 65 itens fotografados não estavam na lista de materiais, como medalhas, uniformes, kit médico, jornais da época, placas, distintivos e etc. — muitos desses objetos são considerados raros. Não há informações sobre o paradeiro dos objetos.

Jornal Midiamax