Cotidiano

Estudo matemático aponta estado crítico e avanço desenfreado da Covid-19 em Campo Grande

Pesquisadores da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), divulgaram, nesta segunda-feira (22), mais um estudo matemático que aponta a projeção do cenário da Covid-19. Em apenas 14 dias, Campo Grande registrou mais de 4,5 mil novos pacientes confirmados, indicando crescimento desenfreado da doença. Segundo os professores Erlandson Saraiva Leandro Sauer, o monitoramento...

Karina Campos Publicado em 23/03/2021, às 08h07 - Atualizado às 08h08

Pacientes internados no HRMS. (Foto: Divulgação/HRMS)
Pacientes internados no HRMS. (Foto: Divulgação/HRMS) - Pacientes internados no HRMS. (Foto: Divulgação/HRMS)

Pesquisadores da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), divulgaram, nesta segunda-feira (22), mais um estudo matemático que aponta a projeção do cenário da Covid-19. Em apenas 14 dias, Campo Grande registrou mais de 4,5 mil novos pacientes confirmados, indicando crescimento desenfreado da doença.

Segundo os professores Erlandson Saraiva Leandro Sauer, o monitoramento os dados são preocupantes e indicam crescimento exponencial de novos infectados se as medidas de biossegurança ou o ‘fecha tudo’, não forem adotadas pelos moradores.

Desde o início da pandemia até este domingo (21), já foram confirmados 81.272 casos e registrados 1.688 óbitos na Capital. A pesquisa ressalta que houve queda durante janeiro e fevereiro, voltando a crescer o número de casos em março. A número de pacientes internados também saltos de 187 para 274, em apenas 14 dias, representando aumento de 46,52%.

Os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) chegaram a 43,93%, passando de 173 para 249 pacientes. O município está em período de aumento dos valores das médias móveis, com 356 casos até domingo e 292 no dia 14 de março, aumento 21,74%.

Na mesma sequência, as mortes causadas pela doença estão indicando aumento na média móvel, passando de 9 óbitos por dia para 14 pessoas que perderam a luta contra a doença, crescimento de 41,99%.

“Os resultados mostram a importância de a população aderir as medidas restritivas impostas pelo governo estadual e pelo prefeito para se manter o isolamento social sempre que possível. Neste momento, este procedimento é extremamente necessário para que as quantidades registradas em uma semana estejam sempre abaixo da curva estimada. Pois somente desta maneira obteremos e/ou manteremos o desejado “achatamento” da curva”, avaliam os professores.

Jornal Midiamax